Sem categoria

Queijos do mundo – Pipo Gurjão

Alimento de origem e datação desconhecidas. A mais antiga evidência arqueológica é um queijo mumificado encontrado no túmulo de Ptahmes, prefeito da antiga cidade de Memphis. É do Século XIII a.C., tendo, portanto, no mínimo 3.200 anos. A mitologia grega atribui a invenção a Aristeu, já a literatura descreve na Odisseia de Homero (Século VIII a.C.) o Ciclope fazendo e armazenando a guloseima.

Sou apaixonado por esse laticínio. Nos restaurantes europeus costumo sempre, ao invés da sobremesa, pedir o carrinho de queijos, onde escolho meus favoritos, só para terminar o vinho, claro!

Epoisses, Cotê-d´Or, França.  Cremoso e com cheiro forte, é meu favorito do país. Napoleão também era fã. Foi praticamente extinto após a Segunda Guerra, mas em 1956 Robert e Simone Berthaut o resgataram através dos poucos que ainda sabiam produzir a iguaria.

Manchego, Mancha, Espanha. Feito de leite ovelha. Citado na obra Dom Quixote, de Cervantes. Seu sabor lembra castanha do Pará e caramelo queimado, fica perfeito com marmelada. Harmonize com um Jerez Oloroso.

Oaxaca, sul do México. Produzido em tiras, enroladas como uma bola de lã, processo similar à da mozzarela italiana. Muito utilizado nas quesadillas e empanadas.

Gouda, Holanda. É um dos queijos mais consumidos no mundo. Escolha um Boerenkaas, “queijo de fazenda”, o leite vem de vaquinhas que pastam livremente e não é pasteurizado. Seria a versão mais nobre do produto. Orgânica.

Azeitão, Setúbal, Portugal. Feito a partir do leite de ovelhas bordaleiras. No começo do ano comi um desses inteirinho só enquanto aguardava minha mesa na disputada cervejaria Ramiro, em Lisboa. Amooo!

Montasio, Friuli Venezia Giulia e Veneto, Itália. Produzido desde 1.200 na abadia de San Gallo di Moggio Udinese. Um bom entendedor o harmonizaria com o vinho Friuli Grave Refosco dal penducolo rosso!

Feta, Creta, Grécia. Leite de cabra e ovelha. Ingrediente fundamental nas saladas gregas. Sua receita completa e modo de preparo são descritas na Odisseia, mas seu primeiro registro remonta a quando o império Bizantino se expandiu pelo mediterrâneo.

Emmental, vale do Emmen, cantão de Berna, Suíça. Talvez esse seja o queijo mais desenhado do mundo, com seus famosos buraquinhos. Rasgue um pão de fermentação natural e massa pesada, abra um bom Beaujolais e seja feliz! Viva a vida! Saúde, muuuuita saúde!

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS