Jornal Impresso

Prefeito Sarto, sobre candidato do PDT: “Sempre fui da tese de que era melhor antecipar”

Declaração do prefeito de Fortaleza vem na esteira de esforços pedetistas para demonstrar unidade política em torno do candidato ao Abolição – ainda a ser definido. Deputados federais do partido assinam nota de apoio incondicional ao ungido (a)

Prefeito de Fortaleza já declarou preferência por antecessor / Marcos Moura/Divulgação

O prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), disse, nesta quarta-feira (22), que “sempre foi da tese de que era melhor antecipar” o nome do grupo para disputas eleitorais. A declaração do pedetista aconteceu durante evento em Fortaleza.

A força atualmente hegemônica no Estado, abrigada no PDT, tem adotado a estratégia de empurrar a definição para o limite do prazo eleitoral.

Em 2022, a data-limite para a oficialização do nome que disputará o Governo do Estado pelo PDT é o dia 5 de agosto, quando se encerra o período para a realização de convenções eleitorais – processo considerado pela Justiça Eleitoral como oficial, para a escolha dos candidatos por partidos e coligações.

Ontem, Sarto admitiu que o grupo político do qual faz parte deixa o anúncio para os “48 minutos do segundo tempo”. Este ano, entretanto, líderes do grupo trabalham para antecipar o anúncio do candidato pedetista. Isso, para tentar conter a tensão interna no partido, que corre o risco de ir rachado para a campanha eleitoral.

O prefeito de Fortaleza já chegou a declarar apoio ao antecessor no cargo, Roberto Cláudio. Também estão no páreo a governadora Izolda Cela, o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão, e o deputado federal Mauro Filho.

Na prática, estão disputando a indicação Roberto Cláudio, que tem a simpatia de líderes do grupo, a exemplo do presidenciável Ciro Gomes, e Izolda, que conta com apoio do ex-governador Camilo Santana (PT).

Na última terça-feira (21), Camilo definiu a governadora, em evento público, também no CEC, como “mãe do Ceará”. A divisão vem estremecendo a coligação PDT-PT. Petistas graduados admitem a possibilidade de lançarem candidatura própria ao Palácio da Abolição.

Na semana passada, evento nacional do PDT, em Fortaleza, expôs diferenças políticas dos subgrupos e causou mal-estar entre aliados.

Defesa da unidade
Na noite da última terça, a bancada do PDT na Assembleia Legislativa (Alece) saiu em defesa da unidade política, afirmando que o grupo marchará unido, independentemente de quem seja o candidato a governador. Nesta quarta-feira, gesto semelhante aconteceu com a bancada de deputados federais do PDT.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS