Política

População recebe abordagens educativas sobre as medidas de prevenção e cuidados com as arboviroses

O boletim epidemiológico mostra dados registrados de janeiro a maio deste ano. Foram registrados 6.465 casos suspeitos de dengue, e deste total, 43,6% (2.817) foram confirmados

Ações da Prefeitura no combate às arboviroses com agentes de combates às pandemias (Foto: Prefeitura de Fortaleza/Divulgação)

Com a proximidade do fim da quadra invernosa e início do verão no Ceará, as autoridades de saúde vêm intensificando as ações para combater o possível crescimento da proliferação do mosquito Aedes aegypti e das doenças associadas a ele como Dengue, Zika e Chikungunya, as chamadas arboviroses urbanas.

Em Fortaleza, segundo o boletim da 22ª Semana Epidemiológica de 2021, divulgado pela Coordenadoria de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde do Município (SMS), foram registrados 6.465 casos suspeitos de dengue, sendo que deste total, 43,6% (2.817) foram confirmados. A maior incidência de casos ocorreu em pessoas de 19 a 59 anos, com 1.830 casos. O boletim destaca que os números de 2021 ainda são preliminares, e até a divulgação da publicação semanal, se observa uma redução de 40,1% em relação ao total confirmado no mesmo período de 2020.

Os bairros que apresentaram maior número de casos confirmados de dengue em 2021 estão nas áreas das Regionais V e VI, são eles: Bom Sucesso, Vila Manoel Sátiro, Canindezinho, Siqueira, Mondubim, Novo Mondubim, Planalto Airton Sena, Passaré e Ancuri.

De acordo com a Secretaria, 49 casos de chikungunya e 4 casos de zika foram confirmados em 2021, sendo também os bairros das Regionais V e VI as áreas de maior incidência das duas arboviroses.

A dengue é endêmica no Município de Fortaleza desde o ano de 1986 quando foi introduzido o sorotipo DENV1. Já os primeiros casos de chikungunya e Zika datam de 2015.

Combate
Atenta a essa situação, a Prefeitura de Fortaleza por meio da Secretaria Municipal da Saúde, elaborou estratégias operacionais e educativas de enfrentamento ao Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, ao longo do mês de junho. O foco principal, inicialmente, será agir nos 20 bairros com mais notificações de casos de dengue.

Segundo a SMS, estão previstas visitas obedecendo aos protocolos sanitários da covid-19, com orientação das medidas de prevenção e eliminação de potenciais criadouros do mosquito. Além disso, será realizado o controle químico com máquinas portáteis e borrifação residual nos pontos estratégicos de maior vulnerabilidade, entre outras.

Na programação educativa desta sexta-feira (11), as equipes de saúde estão realizando abordagens educativas sobre as medidas de prevenção e cuidados, recolhimento de pneus para serem levados aos Ecopontos, avaliação e eliminação de focos e criadouros do mosquito no entorno das residências e espaços públicos, entre outras atividades. Os bairros que estão recebendo as equipes são: Carlito Pamplona, Joaquim Távora, Itaperi, Siqueira e Ancuri.
(Agência CMFor)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS