Política

Juiz federal do TRF manda soltar ex-ministro Milton Ribeiro

(FOTO: EVARISTO SA / AFP)

Decisão foi do desembargador federal Ney Bello, que concorre a vaga no (Superior Tribunal de Justiça)

O juiz federal Ney Bello, do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região), determinou nesta quinta (23) a revogação da prisão preventiva do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro.

“Verifico que a busca e apreensão já foi realizada, as quebras de sigilos já foram deferidas e não há razão o bastante para a manutenção da prisão, sem a demonstração concreta de onde haveria risco para as investigações”, disse o magistrado.

Prisão de ex-MEC abala governo, anima oposição e estimula CPI

“Afigura-se desnecessária a segregação cautelar decretada para o fim de garantir a instrução processual, assim como a ordem pública ou econômica, que se mostra desarrazoada no presente momento.”

Segundo ele, apesar de não ser necessária a prisão, os possíveis crimes devem ser investigados. “A investigação deve correr até não mais poder e se apurarem todos os fatos citados, com as garantias do devido processo legal e da ampla defesa.”

Ney Bello deu a decisão após um magistrado plantonista negar o mesmo pedido da defesa. O juiz integra a lista quádrupla enviada para o presidente Jair Bolsonaro (PL) indicar duas vagas de ministros no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Milton Ribeiro foi preso nesta quarta-feira (22) junto a pastores suspeitos de operar um balcão de negócios na pasta e na liberação de verbas do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).

Além do ex-ministro, foram presos os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura,​ ambos ligados ao presidente Jair Bolsonaro. Também foram detidos Luciano de Freitas Musse, advogado e ex-assessor do MEC, e Helder Bartolomeu, ex-assessor da Prefeitura de Goiânia.

O juiz Ney Bello estendeu a decisão e também soltou todos eles nesta quinta-feira.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS