Política

Girão defende que o Ceará saia do Consórcio Nordeste

Para senador cearense, associação que une estados da região gastou de forma equivocada R$ 48 milhões e ainda não aconteceu a entrega dos 300 respiradores por parte da empresa para quem o recurso foi repassado

O senador cearense participou de forma remota da sessão plenária desta quarta-feira (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Em pronunciamento nesta quarta-feira (13), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) defendeu a abertura de uma nova CPI para investigar irregularidades cometidas pelos administradores da associação.

“É o mínimo que pode ser feito em respeito ao nosso povo, da terra da luz, que não pode continuar assistindo a esse desperdício de dinheiro público oriundo do pagamento sofrido de impostos”, argumentou.

O senador afirma que esse consórcio recebeu verba que deveria ser usada para combater a pandemia, mas, segundo ele, investigações de uma comissão parlamentar de inquérito do Rio Grande do Norte apontam que os recursos foram usados para pagar 300 respiradores que nem sequer teriam sido entregues.

Girão também anunciou que está recolhendo assinaturas para a criação de uma comissão parlamentar mista de inquérito para apurar irregularidades no uso de dinheiro da União pelos estados, especialmente os estados que compõem o chamado Consórcio Nordeste.

O senador disse que as irregularidades envolvendo esse consórcio, que não foram investigadas pela CPI da Pandemia, podem ser “a ponta de um iceberg”.

“Segundo o próprio ministro Wagner Rosário [da Controladoria-Geral da União], foram R$ 120 bilhões investidos pelo governo federal para enfrentar a pandemia em estados e municípios”, declarou Girão.
(Agência Senado)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS