Panorama

Vigilante doa R$ 141 mil para hospital especializado em câncer juntando latinhas

Redação O Otimista
redacao@ootimista.com.br

O vigilante José Carlos Oliveira, morador de Cabixi, em Rondônia, quis ajudar o hospital especializado no tratamento de pacientes com câncer, Hospital de Amor Amazônia. Assalariado e com muitas responsabilidades financeiras, o homem decidiu usar parte do tempo livre para catar latinhas.

O trabalho tem sido feito há sete anos, com José Carlos conseguindo a cada ano aumentar o valor de suas doações. A ideia de ajudar o hospital surgiu após uma consulta, cujo remédio receitado foi uma caminhada matinal para colocar a pressão arterial em ordem.

Nas caminhadas o homem percebeu como as ruas estavam infestadas de latinhas esperando por reciclagem. Incomodado com a situação financeira do hospital e com o lixo espalhado nas ruas, o vigilante decidiu que cataria latas durante as caminhadas. Ele entendeu que o melhor era dedicar todo o dinheiro arrecadado para o Hospital de Amor.

Seu Neném, como também é conhecido percebeu que podia catar uma quantidade ainda maior de latinhas se também fizesse o trabalho nos dias em que não estivesse trabalhando, e não apenas durante as caminhadas.

O resultado é que ano após ano o homem vem doando quantias relevantes, que fazem a diferença nas finanças do hospital. Em 2015 ele doou R$ 7,5 mil,  R$ 18,5 mil, em 2016, subindo as cifras, até chegar $ 41.310,74, em 2021.

Quem conhece a rotina de José sabe que ele teria motivos para pensar mais em si, mas ajudar quem precisa está na essência do vigilante. “José Carlos é casado, e além de cuidar da família, e dedicar-se a filhos e netos, ele também ajuda a cuidar da mãe idosa e um irmão doente”, contou Maria de Lourdes Andrade de Carli, Coordenadora do Leilão Direito de Viver em Cabixi.

A iniciativa deu tão certo que ele já criou pontos de coleta espalhados pela cidade e conta com a ajuda de familiares para levar o projeto adiante.

Foi no leilão coordenado por Maria de Lourdes que José Carlos teve uma surpresa. Ele foi convidado para anunciar o valor doado em 2021, numa cerimônia de agradecimento. Mas ele não contava que em minutos sua motocicleta surrada por uma moto 0 km. O que era para ser uma prestação de contas virou a realização de um sonho.

 

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS