Jornal Impresso

Expectativa é de que volume de açudes garanta uso de água no Ceará este ano

Previsão da Cogerh deverá ser consolidada ao fim da quadra chuvosa, mas gestor do órgão aponta otimismo com base no atual volume no Ceará

Erika Chagas
erikachagas@ootimista.com.br

Abastecimento humano, conforme o órgão, está garantido no Estado (Foto: Divulgação)

Com melhor aporte hídrico registrado nos açudes do Ceará, ainda que a quadra chuvosa não seja intensa durante este ano, a expectativa é de que o volume dos açudes supra as necessidades da população cearense durante todo o ano.

Diretor de Operações da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Bruno Rebouças afirma que o cenário só pode ser confirmado a partir de análise realizada ao final da quadra chuvosa, mas que a espera é positiva. “Só podemos afirmar com certeza a partir de junho, mas, de antemão, estamos com volume melhor este ano. Então, na pior das hipóteses, vamos conseguir operar mantendo algumas restrições”, pondera.

Apesar de ser fundamental para o Estado que ocorra um bom volume de chuva para recarregar os reservatórios, o gestor explica que, por outro lado, o abastecimento humano está garantido, pois são buscadas sempre alternativas para realizar e garantir o abastecimento da população. “[…] buscamos sempre alternativas […] como adutoras, poços e as mais diversas alternativas para cada município não passar por desabastecimento.”

De acordo com informações diárias do Portal Hidrológico da Cogerh, dos 155 reservatórios monitorados, apenas um açude encontra-se com o volume acima de 90%, o Caldeirões, em Salgueiros. O Castanhão está com 10,87%; Orós, 20,43%; e Banabuiú, 11,87%. Ao todo, até o fechamento deste conteúdo, 65 reservatórios apresentavam volume inferior a 30%.

Melhor volume em 7 anos
No último dia 8, o Governo do Estado, por meio da Cogerh, informou que o ano se iniciou com melhor volume nos açudes dos últimos sete anos. Segundo a pasta, o ano de 2020 encerrou-se com 25,8% de volume médio nos 155 reservatórios monitorados.

Para Rebouças, apesar do volume registrado no Castanhão ser considerado baixo, o cenário está mais favorável do que no mesmo período do ano passado. “Todos esses reservatórios receberam alguma água. Mas, durante o segundo semestre, essa água vai sendo consumida, mesmo que em uma cadência menor, porque a gente mantém as restrições de uso. Então, é fundamental uma boa quadra de chuva este ano”, explica Rebouças.

O gestor pontua ainda que, apesar das precipitações que estão ocorrendo durante a pré-estação, período que antecede a quadra chuvosa iniciada em fevereiro, ainda não houve diferença no volume dos açudes monitorados e que o que faz as águas chegarem até os açudes são chuvas com bons volumes e nos locais certos. “Além disso, é fundamental que essas chuvas sejam persistentes. As chuvas que estão ocorrendo ainda estão muito espaçadas. Elas não proporcionaram nenhuma recarga nos açudes.”

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS