Panorama

Ceará registra queda constante de novos casos de covid-19 desde maio deste ano

Tendência de redução seguiu até mês passado, período em que Estado registrou menores índices da doença. Foram 3.243 novos casos e 78 óbitos. No avanço da vacinação, Brasil chega a 100 milhões de pessoas completamente vacinadas

Danielber Noronha
danielber@ootimista.com.br

Foto: Edimar Soares

Desde maio de 2021, o Ceará vem marcando sucessivas diminuições nos indicadores da covid-19. Até agora, o intervalo de maior queda foi entre maio e junho. Enquanto o primeiro mês registrou 124.675 novos diagnósticos da doença, o segundo marcou menos da metade, tendo 56.787 novos casos positivos.

Os meses subsequentes continuaram em queda, mas sem números tão expressivos. O levantamento feito pela reportagem tomou como base os dados disponibilizados no IntegraSUS, plataforma alimentada pela Secretaria da Saúde (Sesa) do Estado.

Comparando de janeiro até setembro deste ano, o último mês foi o que registrou menos novos casos da covid-19 e também menos óbitos decorrentes de complicações causadas pela doença: 3.243 novas confirmações e 78 desfechos fatais. Até então, agosto havia sido o mês de números mais baixos da doença: 8.288 novos casos e 140 óbitos. Neste ano, abril foi o mês com mais óbitos: 3.813. Em contrapartida, foi também o mês com maior número de pessoas recuperadas: 129.783 pessoas conseguiram vencer a covid-19 no período.

No panorama geral da doença no Estado, são 941.644 casos confirmados, 867.254 pessoas recuperadas e 24.317 mortes. O Ceará tem também 20.797 casos em investigação. Desde o início da pandemia até agora, foram realizados 2.905.284 exames. Entre os municípios cearenses com maior presença da covid-19, Fortaleza segue como epicentro, tendo 257.807 diagnósticos positivos. Juazeiro do Norte (31.110), Sobral (27.544), Caucaia (22.547) e Maracanaú (21.633) aparecem, nesta ordem, após a Capital.

Números até esta quarta
Até às 17 horas desta quarta-feira, 13,, os índices de enfermaria e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estavam em 21,97% e 42,92%, respectivamente. Tais taxas já chegaram a ficar na casa dos 15% e 30% em agosto. O Estado vem desde o final de maio último, em queda e estabilidade das taxas de ocupação de ambos os tipos de leitos.

Apenas 13 pacientes diagnosticados com a doença aguardavam transferência no sistema de regulação de leitos da Sesa até o início da tarde desta quarta. Nos momentos mais críticos da doença no Ceará, no caso da segunda onda, a plataforma chegou a registrar mais de 900 pacientes aguardando vagas em leitos especializados para tratar a covid-19.

Brasil chega a 100 milhões totalmente vacinados
O Brasil alcançou nesta quarta mais de 100 milhões de brasileiros que estão completamente vacinados contra a covid-19. O número corresponde a 62,5% do público-alvo para tal. No Ceará, 4.212.403 pessoas estão com esquema vacinal concluído, pelo menos.

Em Fortaleza, são 1.429.741. A previsão da pasta é expandir a cobertura até o fim de outubro, levando em em conta a projeção de que receba mais 51,5 milhões de doses da vacina. A previsão é de que sejam 15,3 milhões da AstraZeneca e 36,1 milhões do imunizante da Pfizer.

As doses correspondem a novos contratos, além dos 100 milhões entregues por ambos os laboratórios. Até o momento, o Governo Federal enviou aos estados e ao Distrito Federal mais de 301 milhões de doses. Com a primeira dose (D1), são 93,7% do público-alvo, o equivalente a 149.211.560 doses.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS