Jornal Impresso

Adquirido da Suécia, Caça Gripen realiza seu primeiro voo no Brasil

Batizado F-39E Gripen pela Força Aérea Brasileira, a aeronave decolou ontem do aeroporto internacional em Santa Catarina para a fábrica da Embraer em Gavião Peixoto, em São Paulo

Aeronave será apresentada oficialmente no Dia do Aviador, 23 de outubro (Foto: Força Aérea Brasileira)

O primeiro caça Gripen E (monoposto) brasileiro, batizado F-39E Gripen pela Força Aérea Brasileira (FAB), realizou ontem (24) seu primeiro voo no Brasil, decolando do Aeroporto Internacional de Navegantes, em Santa Catarina, para a fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP).

A aeronave será apresentada oficialmente no Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, comemorado em 23 de outubro, data que marca a realização do primeiro voo do brasileiro Alberto Santos-Dumont com o 14-Bis, no Campo de Bagatelle, em Paris, em 1906. Santos-Dumont é considerado o Pai da Aviação.

No evento para o primeiro voo, o presidente da empresa sueca Saab, fabricante do avião, Micael Johansson, destacou que a chegada do Gripen no Brasil e o seu primeiro voo são marcos importantes no Programa Gripen. “Estamos orgulhosos dessa jornada ao lado de profissionais tão qualificados e comprometidos dos dois países. Nós estamos seguindo o cronograma de entrega dos caças e mantemos o nosso compromisso de longo prazo com o Brasil”, externou.

Transferência de tecnologia
Presidente da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider afirmou que a Embraer vai desempenhar papel de liderança na execução do Programa Gripen no Brasil, respondendo pelo trabalho de desenvolvimento de sistemas, integração, testes de voo, montagem final e entrega das aeronaves, em apoio à operação da Força Aérea Brasileira.

“Como parte da transferência de tecnologia, o Programa Gripen será uma grande oportunidade para aumentar nosso conhecimento no desenvolvimento e manufatura de uma aeronave avançada de combate”, apontou Schneider, à imprensa.

A importância do compartilhamento de experiências por meio da cooperação entre Brasil e Suécia foi salientada também pelo ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. “O Gripen aumenta a capacidade operacional da Força Aérea Brasileira e impulsiona uma parceria que fomenta a pesquisa e o desenvolvimento industrial dos dois países”, declarou. (Agência Brasil)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS