Opinião

Saúde e tecnologia a favor da vida

Por
Raphael Cunha

“O importante é ter saúde”. Esse é um ditado popular brasileiro usado para quando a situação pessoal não está indo tão bem em diferentes âmbitos: sociais, econômicos, familiares e etc. Ter saúde, principalmente em tempos pandêmicos, é de suma importância; por isso, os investimentos tecnológicos nesse setor avançam a cada dia visando melhorias tanto para os pacientes quanto para os profissionais ou provedores de saúde.

Ter a tecnologia aliada à saúde possibilitou o desenvolvimento e acesso a prontuários virtuais, proporcionando velocidade em diagnósticos e estreitando o contato entre paciente e médico. A ampliação da capacidade de atendimento, otimização do tempo e menores custos marcam os principais pontos positivos para as organizações.

Com a pandemia, os setores clínico e preventivo sofreram grandes mudanças, essas mudanças devem ficar e se tornar comuns em nossas rotinas. Agendamentos de consultas e exames, além de atendimentos, já são realizados de forma online. Isso deixa os processos mais céleres para pacientes e médicos, iniciando tratamentos de forma mais ágil. A geografia também deixou de ser problema: os acompanhamentos não são mais interrompidos por conta de viagens ou mudanças, pois os serviços de Telemedicina (consultas online) alcançam todos os territórios. Atendimentos de urgência visando a praticidade, permite consultas de forma virtual, de onde estiver, tudo pelo smartphone, evitando deslocamentos.

Uma prática que víamos comumente era pessoas se deslocando do interior para a capital para consultar um especialista, o que demandava muito tempo e gastos exorbitantes. Agora o especialista, mesmo estando em outra cidade, chega aos pacientes mais remotos, oferecendo os cuidados que cada ocasião necessita.

Mesmo com todas essas vantagens comprovadas na pandemia com o uso da telemedicina, a prática teve apenas uma flexibilização na regulamentação no Brasil, sendo liberada somente provisoriamente em tempos pandêmicos. Os investimentos tecnológicos na saúde deixaram os processos otimizados e organizados para todas as partes interessadas. É fundamental que os avanços alcançados diante da crise sanitária em que vivemos sejam reconhecidos e oficializados.

Raphael Cunha é diretor médico e de produtos da SiMCo

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS