Opinião

PT do Ceará não terá vida sem o PDT e o partido será derrotado em 2022, com ou sem Lula. O mesmo ocorrerá com Bolsonaro, segundo as pesquisas – Roberto Moreira

Convenção do PT, em 2018, quando partido repetiu apoio ao PDT de Cid Gomes (Foto: pt.org.br/ Divulgação)

A sociedade brasileira pode ser tudo, menos desinformada, desrespeitosa com suas obrigações mais importantes, como o voto. Seja de direita, de esquerda ou de centro, o eleitor sabe que não cabe mais nos novos tempos ou no novo normal viagens políticas que remetam ao passado de destruição das instituições, das empresas do governo, da ordem pública. É fato que todo esse momento de turbulência política já aponta para a realidade na qual o Brasil rejeita o PT e, também o governo e o presidente Bolsonaro. A sociedade não rejeita pessoas que se comportam dignamente e com ética. A tendência do PT é derreter antes mesmo da campanha eleitoral de 2022.

A ala de centro, centro-esquerda e a própria esquerda têm grandes quadros, como o governador Camilo Santana, o senador Cid Gomes e Ciro Gomes. Citei os três por estarem no centro do debate da sucessão presidencial. Essas lideranças sabem bem o grau de satisfação e insatisfação da nação. O político sério se preocupa com o bem estar da própria política e do eleitor, principal cliente do processo popular de escolha dos homens e mulheres que dirigirão estados, o governo federal e nos representarão no Congresso Nacional. É preocupante saber que lideranças importantes do passado insistam em atuar como protagonistas, mesmo ameaçando o futuro da nação. As pesquisas eleitorais estão dizendo não ao PT, a Lula e Bolsonaro, por tudo que fizeram de errado e pelo que deixaram de fazer.

No Ceará, uma ala do PT conhece bem as dificuldades do partido para se manter vivo, atuante. Os segmentos que flutuam no meio universitário e no serviço público, que seguem a linha progressista, não adotam mais o PT como partido político. O eleitor de esquerda vota na Luizianne, não no PT. Vota no Guimarães, não no PT. Será muito difícil para os filiados do partido assistir a uma derrota que poderia ser evitada com o apoio às novas lideranças ou a líderes como Ciro, Rodrigo Pacheco, Mandetta e Boulos, ou até nomes mais ao centro. A política de alianças pressupõe a junção de projetos políticos e não pessoais. Uma grande parte do PT cearense quer o partido ao lado do PDT, parceiro antigo. Será que o PDT quer seguir com o PT como aliado em 2022, no Ceará e no Brasil?

Colocando o radar político nos estados, ampliando nossa visão saindo do Ceará , é possível enxergar grandes dificuldades para o PT. O desgaste é grande e o estrago foi profundo. O PT não consegue mais juntar o povo ao redor do seu palanque. Lula, seu maior patrimônio, não carrega mais multidões, talvez um pouco de cada setor da classe trabalhadora e pessoas dos movimentos sindicais. A política de alianças poderá impulsionar o candidato Lula, mas não será suficiente para uma vitória. A massificação das denúncias de erros sucessivos de governos do PT fará a sociedade procurar outras opções. Ciro Gomes tem dito que “Bolsonaro é o resultado dos erros do PT, e que será outro erro em insistir com o PT e Lula na disputa de 2022”. Ciro não está fazendo nenhuma profecia, está lendo as pesquisas, ouvindo a população nas ruas. Os brasileiros que podem governar a nação com um projeto de país para nos tirar do atoleiro podem ser derrotados mais uma vez.

No Ceará, o governador Camilo Santana brilha no cargo, tem a melhor avaliação entre governadores de todo o país. Filiado ao PT sempre defendeu bandeiras do partido, a inocência de Lula e soube conviver harmonicamente com 18 partidos que o apoiam. Camilo é nome que representa o novo PT. Um político sério, governa com ética, correção, impondo pautas de desenvolvimento econômico, valorização da educação e saúde, e protagoniza o mais amplo programa social da história do Ceará. Camilo Santana deveria e merecia ser uma estrela bem mais brilhante e trabalhada pelo PT.

Vitor Valin se aproxima do Abolição

O governador Camilo Santana parece ter fisgado o prefeito de Caucaia, Vitor Valin. Governo do Ceará e prefeitura de Caucaia estão fechando uma parceria de R$ 220 milhões em obras. Além das obras, Valin é visto com frequência em reuniões de trabalho em órgãos do governo e no gabinete do governador. Valin foi eleito de forma independente, sem padrinhos políticos.

Átila Câmara impulsiona uma Guaramiranga em Maranguape

Está surgindo o maior projeto de serra bem ao lado de Fortaleza. Em Maranguaoe vai surgir uma cidade planejada dentro de outra cidade. Serão aéreas para casas em alto padrão na área serrana, com clima em torno de 20 graus, muito verde, flores, jardins. Tudo planejado para gerar uma plataforma de turismo e geração de empregos. O projeto recebeu a assinatura do arquiteto Luiz Deusdara, nome de prestígio internacional.

Roberto Cláudio inaugura escritório político

O ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, abriu um escritório político em edifício na praça Portugal, no miolo da Aldeota, para receber, ouvir e conversar. Simples, o lugar foi escolhido estrategicamente para facilitar encontros de forma transparente. A partir do escritório , o ex-prefeito vai partir para uma agenda de trabalho que envolve reuniões , encontros, palestras e grandes eventos.

A inflação de Bolsonaro

Vi no supermercado o preço do quilo do pimentão a R$ 10. Vi o botijão de gás por R$ 105 no posto de venda do Mercado dos Pinhões. Vi o quilo do pão carioquinha por R$ 21. O pacote de café de 250 gramas da marca Pilão por R$ 8,90. No açougue, o frango está custando R$ 25 o quilo. A sardinha R$ 5. O consumidor não tem um defensor no Congresso Nacional. Segundo o IBGE, 24 milhões de brasileiros estão famintos, outros 29 milhões são miseráveis.

Gledson Bezerra está muito próximo do Abolição

O prefeito de Juazeiro do Norte (Foto: Reprodução/ Facebook)

Após divulgar seu voto para senador em Camilo Santana, o prefeito Gledson Bezerra parece confortável com a completa aproximação com o Abolição. O bloco de oposição que passou pelo Cariri no final de semana não foi recebido pelo prefeito de Juazeiro do Norte, que nem o celular dos aliados atendeu. A tarefa difícil de governar promoveu um acerto político-administrativo com o grupo ligado ao governador. Agora, Camilo tem o apoio de 21 prefeitos dos 28 municípios da região do Cariri.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS