Colunista

Os próximos passos políticos de Cid Gomes – por Erivaldo Carvalho

Senador voltou à sigla, neste domingo / Reprodução

Recebido em grande estilo no PSB, o senador Cid Gomes já deve ter clareza do que fazer e dos novos rumos políticos que deve tomar.

De volta à sigla que dirigiu entre 2005 e 2013, o ex-governador tem pela frente desafios partidários e políticos.

Os primeiros já estão sinalizados.

O atual presidente da sigla, Eudoro Santana, admitiu, nos últimos dias, que Cid assumir o partido no Ceará é questão de tempo.

Até lá, o novo filiado seguirá na batuta, indireta, do também senador (licenciado) e ministro Camilo Santana.

2ª força no CE
Nacionalmente, o PSB é um partido de pequeno a nanico. Em 2022, elegeu 14 deputados federais – é apenas a 9ª bancada na Câmara.

No Ceará, entretanto, Cid chega à legenda com muitos prefeitos, alguns deputados e personagens relevantes da cena pública cearense.

Com a chegada de Cid e liderados, o PSB passa a ser a segunda maior força a orbitar o Palácio da Abolição – atrás do PT.

Isso significa mais presença no condomínio palaciano do que o PSD de Domingos Filho e o MDB de Eunício Oliveira.

O senador tem histórico de boa convivência e respeito mútuo com petistas – salvo um “o Lula está preso, babaca!” e outras pérolas.

A propósito, o torpedo verbal de Cid foi disparado em 2018, no mesmo local onde, neste domingo, 4, ele assina a ficha no novo partido.

2024 e 2026
O novo status do PSB no Ceará pode abrir uma série de possibilidades em 2024 – que já flerta com as eleições de 2026.

Uma delas deve ser o peso de Cid na indicação de cabeças de chapa ou candidatura a vice-prefeito em todo o Ceará – inclusive, em Fortaleza.

Não será surpresa o PSB de Cid sinalizar algo nesse sentido na Capital do Estado – é o que os bastidores vêm alimentando.

Cid precisa desse protagonismo – e é o que sabe fazer, como poucos outros jogadores do poder em atuação no Ceará.

Isso nos leva a 2026. O senador se movimenta para se candidatar à reeleição. Serão duas vagas.

Derrotado na queda de braço com o PDT – com o qual pretendia recuperar a aliança com o PT-CE -, Cid, no PSB, refaz cálculos e realinha a tropa.

Como isso vai definir seus próximos passos, o tempo dirá.

 

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS