Opinião

O pico ou o platô. A pandemia contaminou, também, a política – Roberto Moreira

Vacina virou ponto central no debate em torno das saídas para a crise sanitária (Foto: Dado Ruvic/Reuters)

A pauta número um do Brasil é a pandemia de coronavírus. A segunda pauta é a queda de braço entre o presidente Bolsonaro e governadores. O presidente tem convicção de que o mote da pandemia no país, com aumento de mortes, é uma articulação de esquerda para lhe tirar o mandato. Ele construiu, na sua mente, que existe um movimento para lhe empurrar no abismo e está lutando para sobreviver. Do outro lado, governadores convictos de que a pandemia é a destruição de famílias, da economia, da educação e atinge em cheio a classe política. Os pensamentos ainda não se uniram, os lances e movimentos distanciam a todos. O ponto central que pode resolver é a vacina, solução simples para acalmar a Nação. O empresário Beto Studart defende essa tese.

Relutante de início, o presidente aparenta, agora, querer comprar a vacina, sinalizando claramente que teremos a imunização. Mas, não tem acordo sobre ajudar estados e municípios, sem que a população seja liberada, acabando o isolamento social. Bolsonaro marcou seu território. Com isolamento social e lockdown, não tem conversa.

Estamos passando pelo pico da segunda onda da Covid 19, no Brasil. Os especialistas acreditam que o platô já está sendo diagnosticado em alguns estados e, seguida, haverá a redução da contaminação e das mortes. O Brasil atingirá, antes do final de semana, 300 mil mortes por Covid-19. Assustador número que, certamente, vai escandalizar e colocar o Brasil na agenda negativa do Planeta. Isso machucará a política, colocará obstáculos para os negócios e irá criar um sentimento de falta de esperança para o combate ao coronavírus. A pressão social vai aumentar, acarretando consequências.

O coronavírus contaminou a política. A política contaminou o combate à doença. Sem entendimento, todos poderão sair destruídos. O eleitor é muito sensível, quando a política mexe negativamente no seu bolso e na sua família. Reafirmo: a vacinação urgente é a saída para Bolsonaro e governadores. O contribuinte, o eleitor, resolve na urna, em 2022, quem merece seguir nos cargos que ocupam.

Valim otimista, em Caucaia

A Prefeitura de Caucaia vai distribuir 55 mil tablets e chips aos estudantes matriculados na rede municipal de ensino. Os pais terão cestas com 18 quilos de alimentos. O prefeito Vítor Valim está montando uma rede própria de Wi-Fi e um cinturão digital. Líder de visão.

Caucaia produz seu oxigênio

Oxigênio em tempos de pandemia, com pico de casos, é produto essencial para a vida dos pacientes. O prefeito de Caucaia, Vitor Valim interveio e o município assumiu uma usina falida. Caucaia é o único município do Ceará que produz seu próprio oxigênio e tem capacidade ociosa, que pode atender a 10 municípios vizinhos.

Vítima do INSS na pandemia

Paulo Fernando Santos Cabral tem 14 anos e sofre de epilepsia retroativa, uma doença que atinge o cérebro, os movimentos e o comportamento, provocando combinações de difícil controle. Ele perdeu a mãe para o Covid-19, no ano passado, e a aposentadoria, em consequência, foi suspensa. O pai, João Paulo da Silva Cabral, foi obrigado a deixar o emprego para cuidar dele. Eles moram na favela conhecida como Campo do América, na rua Tenente Amauri Pio, 513. Um quarto de 10m2, em um beco. A Covid-19 lhe tirou seu grande amor e cuidadora. O INSS, que lhe tirou o dinheiro para sobrevivência, precisa rever. Ele tem direito.

RC e o Abolição

Roberto Cláudio será o candidato ao governo, em 2022, liderando chapa do PDT. O PT ficará com a vaga ao Senado, indicando Camilo Santana. A vaga de vice será entregue a outro aliado de peso. Esse é o cenário de hoje, na avaliação dos deputados federais, nas rodas de conversa em Brasília.

Dr. Cabeto recebe homenagens

O médico cardiologista Cabeto é titular da Sesa (Foto: Fátima Holanda)

São justas as homenagens da Assembleia e Câmaras Municipais ao Secretário de Saúde, Dr. Cabeto. Não é fácil gerir uma crise sanitária tão grave, como a provocada pela Covid-19. O governador Camilo fez a escolha certa e conquistou não só um competente auxiliar, mas um parceiro para lutar por vidas.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS