Opinião

O distanciamento dos bolsonaristas cearenses do senador Eduardo Girão precisa ser esclarecido – Roberto Moreira

O senador do Podemos-CE é considerado sem articulação (Foto: Beto Barata/ Agência Senado)

O senador Eduardo Girão, PODEMOS, foi eleito em 2018 pregando a moralização na política e propondo nova relação entre o poder público e detentores de mandato. Era a cartilha de Bolsonaro. Bolsonaro rasgou, se juntou ao centrão e abriu o cofre para o fisiologismo. O desgaste do senador Girão é grande por não ceder aos “pedidos” para intermediar verbas e destinar recursos para prefeitos, no conhecido “toma lá dá cá”. Girão parece não ter jogo de cintura para o convívio com alguns bolsonaristas que lhe pressionam para penetrar na velha política. Por enquanto o senador resiste.

O grupo bolsonarista, que se apresenta ao eleitor cearense, descartou o senador Girão de participação em todos os eventos. O isolamento é completo. É nítido o desprezo ofertado pelos bolsonaristas. Girão foi totalmente afastado das articulações e movimentos dos bolsonaristas. Seu nome sequer é citado. Apesar da amizade que construiu com o deputado Capitão Wagner, os dois estão distantes publicamente.

No dia do lançamento da pré-campanha do capitão Wagner ao governo cearense no município de Acopiara, o senador Girão não estava presente porque não foi convidado. Na visita do presidente Bolsonaro a Juazeiro do Norte, onde Wagner foi apresentado como candidato ao governo do Ceará, Girão não foi convidado. São muitas as atividades sem a presença do senador.

Mas o que houve? Os bolsonaristas consideram o senador Girão um político sem articulação, distante do interesse público, dos vereadores, prefeitos, deputados e muito ligado a alguns empresários. Girão também não atua em “negócios” para resultar em benefícios políticos. Bolsonaristas investigam o destino dos recursos liberados pelo senador. Outro fator que intriga os bolsonaristas é a insistência do senador Girão em afirmar que é independente. Eles querem que o senador siga a mesma linha do deputado capital Wagner que se dizia independente, mesmo sendo bolsonarista e de direita. Wagner assumiu o bolsonarismo e passou a ter prestígio no caixa dos ministérios.

Não se sabe ainda até que ponto o distanciamento entre bolsonaristas afetará a provável candidatura do capitão Wagner. Girão coordenou a campanha do capitão a prefeito de Fortaleza. Na campanha mostrou que atua forte, conseguiu botar a polícia federal na campanha, atacou a honra de Cid Gomes e botou dinheiro no caixa para custear o projeto eleitoral. Será que o senador descobriu algo errado?

O senador Girão tem muitas dificuldades para se manter independente e pior, para convencer a população. O que se pode afirmar com segurança é que sua reaproximação com bolsonaristas significará sua entrada no mundo fisiológico, do toma lá dá cá. Girão pode ser obrigado a construir uma terceira via e buscar novos aliados.

“Estou sendo perseguido” diz Calheiros

O relator da CPI da Covid 19, senador Renan Calheiros, foi indiciado em inquérito da Polícia Federal pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro nas investigações da Lava Jato. Renan teria recebido propina da Odebrecht. O senador considera perseguição da PF porque faz oposição ao governo Bolsonaro e por ser relator da CPI da Covid que está incomodando o governo federal.

Distribuição de cargos

O governo Bolsonaro está abrindo nova temporada de nomeações. Os melhores cargos serão ocupados por indicados de aliados fiéis no Congresso Nacional. Bolsonaro e Ciro Nogueira querem construir uma bancada com 2/3 de maioria na Câmara e Senado Federal.

Ciro Gomes disse que o Brasil foi “proscrito”

Pedetista cita Amazônia e produção econômica (Foto: PDT.ORG.BR)

O ex-ministro Ciro Gomes foi profundo na crítica a condução política e económica do Brasil no governo Bolsonaro no programa Canal Livre da BAND TV.. Segundo Ciro, o Brasil foi proscrito, ou seja, banido do mundo político e econômico após promover a destruição da Amazônia e jogar no lixo a produção estimulando o mercado financeiro, o dólar e as bolsas. Ciro disse ainda que a democracia colocará os limites e que os militares estão envergonhados.

Lula está chegando ao Ceará

Chegou a hora. Lula estará no Ceará no final de semana. Vai ouvir o pensamento do PT cearense que tem no governador Camilo Santana sua maior liderança. Lula sabe que não adianta pressionar. Camilo o admira, mas é peça integrante de um projeto onde estão Ciro e Cid e vai seguir com eles. Lula deve liberar Camilo para seguir seu projeto e será bem votado no Ceará. A candidatura do PT ao governo será descartada.

Pinheiro Landim fora da disputa

O ex-deputado Pinheiro Landim, MDB, presidiu a Assembleia Legislativa e foi deputado federal por quatro mandatos. Um grupo de aliados lançou seu nome para retornar à Câmara dos Deputados. Pinheiro Landim foi orientado pela família a ajudar companheiros que estão em pré-campanha. Não irá se candidatar.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS