Opinião

Guedes coordena a difícil privatização dos Correios: a empresa tem um grande patrimônio cultural tombado e 358 anos de história – Roberto Moreira

A possível venda da lucrativa estatal animou o mercado (Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está correndo contra o relógio para vender os Correios, uma das empresas públicas mais lucrativas do país e a mais antiga da nação com 358 anos.

Guedes coordenou reunião ampla sobre o processo de privatização dos Correios e chamou todo seu grupo do Ministério da Economia. Participaram o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o advogado-geral da União (AGU), Bruno Bianco Leal, o presidente dos Correios, Floriano Peixoto Vieira Neto, acompanhado de diretores da empresa, secretários especiais do Ministério da Economia e assessores da AGU e do BNDES.

O negócio para ser executado precisa antes da solução para muitos problemas. Por ser a mais antiga empresa do Brasil com cerca de 358 anos, batizada como “Correio Mor” e nos anos 60 rebatizada de Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, o Correio é, um patrimônio dos municípios e dos estados, não só da união. Em cada cidade brasileira tem um prédio dos Correios tombado. Um patrimônio intocável, inegociável.

As entidades que atuam na área de preservação, estão de olho no processo de privatização. Outras entidades ligadas aos trabalhadores também estão monitorando o negócio. O ambiente vai esquentar.

Vender empresas lucrativas como os Correios é tudo que o mercado deseja. Negócio altamente rentável para quem compra e ruim para quem vende. A Bolsa de Valores está de asas abertas para bater o martelo. Empresas Bilionárias estão observando o processo e de caixa aberto para comprar. O melhor, o ministro Paulo Guedes, copiando o modelo do governo Fernando Henrique Cardoso quer o BNDES e Bancos Regionais ajudando, ou seja, emprestando dinheiro as empresas interessadas na compra. Seu banco preferido , o BTG deve ficar fora, por conta do risco.

O processo de privatização de empresas públicas no Brasil é vergonhoso. O Congresso Nacional é o grande responsável pela falta de ordenamento. A cada governo, presidentes satisfazem a gula fe empresários torrando empresas, sem medir consequências. O presidente Fernando Henrique Cardoso privatizou toda área de telecomunicação e vendeu o setor elétrico. Também jogou nas mãos da empresa privada a Vale do Rio Doce, maior empresa de mineração do mundo. O mais grave, a soberania nacional do minério foi junto. Pior ainda, toda venda foi bancada com recursos do BNDES, um banco público. Dilma e Temer venderam estradas e aeroportos. Bolsonaro está torrando portos, rodovias e vai vender os Correios. O Congresso Nacional, formado pela Câmara Federal e o Senado da República, deveria sentar com técnicos do governo e formatar um diagnóstico, um plano de privatização. No retalho, sem planejamento tudo perde o valor e desagrada a nação.

Dimas Oliveira (Rede) assessor de Camilo

O governador Camilo Santana colocou ao seu lado como assessor o advogado Dimas Oliveira, presidente do partido Rede. Dimas é um socialista, altamente conhecedor da burocracia oficial e dos movimentos sociais e ao mesmo tempo interlocutor com setores importantes da economia. Dimas, se afastou do escritório de advocacia, um dos mais regráveis do país, onde era sócio.

Roberto Cláudio desembarca de volta ao Ceará dia 29/08

O ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, desembarca de volta ao Ceará, no próximo dia 28. RC tem sua primeira agenda no Sertão Central, onde fará palestra para prefeitos e vereadora dos municípios do CODESSUL e receberá o título de Cidadão de Senador Pompeu. Roberto Cláudio tem seu nome citado como possível candidato ao governo do Ceará.

Oftalmologia precisa operar doentes com catarata

Um cadastro da CUFA, Central Única das Favelas, aponta para um problema grave. Os idosos das favelas estão ficando cegos por conta da catarata. Não encontram lugar para fazer cirurgia. No Ceará, clínicas com salas de cirurgias estão ociosas. Os prefeitos e o governo do Ceará precisam agir.

Juiz federal Augustinho Lima Chaves no STJ

O juiz federal cearense, Augustinho Lima Chaves, foi convidado e aceitou o convite para ser o assessor número um do novo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins. Augustinho é um dos melhores quadros da justiça brasileira. Pode ser a oportunidade que faltava para seu talento abrir mentes sobre um judiciário ágil, moderno, dinâmico e sério. Os seus admiradores, que são muitos estão eufóricos.

Cid Gomes agradece Dr. Cabeto


Médico fez belo trabalho no combate à covid (Foto: Carlos Gibaja/ Casa Civil/ GE)

O senador Cid Gomes, em ato de gentileza política, agradeceu ao Dr. Cabeto pelo belo trabalho no combate ao COVID-19 ao lado do governador Camilo Santana. Cid diz no texto que Cabeto “vai continuar brilhando como médico e professor”. O médico Ma Cid Gadelha vai ficar o barco. Conhece todo processo, ou seja, a saúde não sofrerá a dificuldade de uma nova gestão.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS