Opinião

Empréstimo consignado com juros abusivos

Por
Fellype Ribeiro

É comum que você receba ofertas de crédito por meio de empréstimos. Existem diversos tipos de empréstimos no mercado, um dos mais populares é o consignado por ser de fácil acesso e rápido. E para ter acesso a esse tipo de empréstimo só é necessário ter uma renda mensal fixa, seja como funcionário público, aposentado/pensionista ou funcionário de uma empresa. E claro, o empréstimo consignado tem suas facilidades por ter uma garantia na sua própria renda.

Os bancos e instituições têm preferido a venda de empréstimo para negativados, isto porque o tipo de empréstimo consignado não considera se a pessoa está inscrita em órgão de proteção ao crédito, mas sim a margem consignável que você possui. Essas linhas de crédito são utilizadas para pagar gastos imprevistos, como saúde, estudos ou investimentos em um novo negócio. Dependendo se o crédito for bem utilizado pode ser uma saída interessante e rápida.

Porém, é comum que o empréstimo consignado seja a maior armadilha. Sendo ela o motivo da maioria dos endividados brasileiros. Você normalmente não considera o prazo de pagamento, taxas e juros. Acaba observando apenas o valor mensal da parcela. E isso é um erro grave!!! Você não leva em consideração que a parcela contratada sempre reduzirá consideravelmente o que sobra mensalmente, e isto acaba levando para um descontrole financeiro.

Outra questão é o prazo do contrato, o número de parcelas, quanto mais parcelas mais encargos. Mas veja bem, o banco sabe disso, é proposital. Não caia nos “golpes permitidos” onde se tem publicidade de dinheiro fácil e rápido, é muito tentador e foram feitos para o endividamento mesmo.

As abusividades contratuais são enormes, mas como a maioria das pessoas não sabem disso, continuam fazendo e lucrando muito. Se algo assim já aconteceu com você, saiba que é possível buscar seus direitos, começando por uma negociação até mesmo indo para a justiça. Infelizmente os bancos só fazem acordo quando tem uma ação judicial contra eles, e neste momento tendem a fazer um acordo excelente, pois querem resolver a questão o quanto antes. Ou quando não fazem uma proposta cabe à justiça equilibrar a situação.

Fellype Ribeiro é advogado criminalista

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS