Opinião

Covid: Camilo não recomenda grandes aglomerações no Réveillon e Carnaval – Roberto Moreira

O governador do Estado (e), ao lado do secretário estadual da Saúde do Ceará, Marcos Gadelha (Foto: Ascom/ Governo do Ceará)

Já imaginaram o aterro da Praia de Iracema com cerca de um milhão e meio de pessoas, na passagem do ano, todas próximas, bebendo, se tocando, sem se saber quem está vacinado ou não, quem está com Coronavírus ou não? A resposta está no perfil de Facebook do governador Camilo Santana, que claramente, diz não ao propósito de promover grandes festas populares no réveillon e no carnaval. A posição do governador cearense é corajosa porque desagrada o universo dos promotores de eventos e dos artistas, mas é uma postura que merece ser respeitada por toda sociedade.

Além de olhar no retrovisor, para um dos momentos mais tristes da Nação, quando mais de 600 mil pessoas perderam a vida nessa pandemia de Coronavírus – no Ceará, tivemos mais de 25 mil mortos – a posição contrária do governador é correta, merecedora de apoio e, ao mesmo tempo, reflexiva porque joga para a sociedade a discussão sobre o valor da vida. Afinal, o que temos a comemorar? As mortes, a dor, o sofrimento, o desemprego, a miséria, a fome? O alerta de Camilo Santana, ao informar o aumento de casos na Europa, Estados Unidos e até mesmo em algumas cidades brasileiras, merece uma análise, dentro das famílias e, principalmente entre formadores de opinião.

Vale salientar que o governador não pontuou ser contrário ao réveillon realizado entre famílias e amigos, ao ar livre. Sua posição é clara, quando afirma ser contrário às grandes festas, onde não se pode cobrar o comprovante ou passaporte vacinal. As festas, com apresentação do documento, podem ser realizadas, segundo o posicionamento de Camilo Santana.

O efeito político da medida não preocupa o governo cearense. O governador tem afirmado que sua prioridade é cuidar das pessoas, vacinar toda população e defender medidas que preservem a saúde da comunidade. O enfrentamento da pandemia, com cuidado e mantendo medidas protetivas, deve seguir, na visão do governador. Nesse ponto, ele pouco se importa com o item popularidade. Nenhum homem público quer carregar cadáveres no histórico, principalmente o jovem governador, que tem formação humanitária.

Para o cearense, que possui 600 quilômetros de litoral, é importante esclarecer que todo essa faixa nobre de areia e mar pode ser usada normalmente no réveillon. É um enorme espaço. Os 34 quilômetros da faixa de praia de Fortaleza estarão à disposição dos turistas e da população nativa. Para os que tem o que comemorar, a festa está liberada, mas será necessário vacinar. O governo está sendo rigoroso na cobrança, junto aos setores da economia que atuam no setor de serviço. A tática de exigir o cartão ou passaporte vacinal é uma maneira de forçar a população a se vacinar. Foi dura a luta para convencer o governo a comprar a vacina. E é simples a imunização, basta apenas procurar um posto de saúde e ganhar um salvo-conduto, para entrar e sair em qualquer ambiente . Sem vacina, o cidadão criminoso se alimenta na rua, não entra no cinema, no bar, na faculdade, na escola e se torna um ser desagradável.

No Ceará, cerca de 500 mil pessoas não apareceram para receber a segunda dose da vacina contra Covid-19. É um número elevado. Pesquisas mostram que para boa parte dos brasileiros a pandemia acabou, o que não é verdade. O Coronavírus ainda está entre nós. A vacina reduziu a presença. É como se ele estivesse no freezer e, a qualquer momento, pode sair do congelador. Réveillon, sem multidão é uma medida certa!

Reencontro de RC e Carlomano

A passagem do ex-prefeito Roberto Cláudio por Pacatuba foi um grande reencontro. Carlomano Marques e o ex-prefeito de Fortaleza simbolizam um momento político importante: adversários, em alguns momentos, podem ser aliados, no futuro. Os dois grandes oradores estão juntos. O jovem Rafael Marques, vice-prefeito de Pacatuba, articulou e testemunhou o reencontro.

Evandro está bem

Presidente do Legislativo geriu clube cearense de futebol (Foto: Ascom/ AL-CE)

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Evandro Leitão (PDT) está feliz com a permanência de Ceará e Fortaleza na Série A do Campeonato Brasileiro. Leitão foi o gestor de clube que promoveu a grande virada no esporte cearense. Seu mérito acabou reconhecido por Ciro Gomes, que considera o sucesso do futebol cearense importante para a economia e a autoestima da população.

Orçamento secreto vira escândalo

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), fez uma grave acusação. “Todos os partidos que estiveram no poder usaram as emendas do relator do Orçamento”. Citou PSDB, MDB, PP, PT e DEM como exemplos dos que se beneficiaram e condenou o apelido de “orçamento secreto”.

Cid abraçado com os prefeitos aliados

Na solenidade onde 36 prefeitos receberam diplomas como bons gestores, o senador Cid Gomes esteve presente e abraçou cada um dos homenageados. Ele sempre compareceu ao evento, prestigiando os gestores. Este ano, Cid estava acompanhado do ex-prefeito Roberto Cláudio.

Fora da história

O governador Camilo Santana citou os nomes dos 17 senadores e deputados federais que destinaram recursos para a construção do Hospital Universitário da UECE, o maior do Ceará, com 650 leitos. A obra vai custar R$ 270 milhões. Camilo não citou os nomes do senador Girão e dos deputados Zé Airton, Capitão Wagner, Pastor Jaziel, Moses Rodrigues e Danilo Forte porque eles se negaram a colocar recursos para o hospital.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS