Opinião

Como a pandemia mudou nosso estilo de morar

Daniel Otoch Simões é diretor da J.Simões Engenharia e do Sinduscon-CE

Por Daniel Otoch Simões

Que a pandemia criou vários costumes e comportamentos isso todo mundo já percebeu. A nossa nova forma de viver é bem diferente daquela do final 2019. Mas a pergunta é como os próximos empreendimentos residenciais, vão ser ajustados à essa nova realidade.

Não só a pandemia está mudando nossos hábitos, mas a tecnologia em conjunto com os esses novos hábitos transformaram nossa forma de viver, de nos entreter, de trabalhar, de estudar e de nos relacionar com as outras pessoas.

Quando a J.Simões Engenharia lançou o primeiro empreendimento com um CoWorking integrado ao empreendimento, muitas pessoas questionaram se aquilo não seria apenas uma “jogada de marketing” com o objetivo de nos posicionar como empresa “inovadora”. Não só para nossos empreendimento da linha J.Smart, mas o CoWorking, hoje é uma realidade para empreendimentos de alto padrão, como nosso recentemente lançado Allure Meireles.

Há quem questione hoje o novo modelo “hibrido” de trabalho? Aquele que não é nem 100% home office nem 100% tradicional? Quantos pais sentiram a necessidade de ter um home office para si ou mesmo um espaço para seus filhos estudarem, ou mesmo assistirem aulas online? Quem nunca participou de uma reunião online?

Uma mudança interessante foi o hábito de fazer compras para o lar via aplicativos como Rappi e iFood. Uma nova área comum vem surgindo: o Delivery Space. Áreas seguras para receber as compras e até mesmo armazena-las refrigeradas enquanto o morador não está em casa.

São tantas mudanças na nossa forma de viver que outro comportamento curioso são a adoção de “home markets” dentro de espaços antes pouco utilizados. No Allure Meireles, existe não apenas esse espaço de conveniência, como desenvolvemos em conjunto com nossos arquitetos (muitas vezes através de reuniões online), uma área de café integrados à loja de conveniência, pensando não apenas nas compras que “esquecemos” de pedir pelo Rappi, mas também um espaço que claramente se transformou um anexo ao próprio CoWorking como ambiente de “descompressão”.

Muito vai continuar mudando numa velocidade nunca vista. A tecnologia 5G vai trazer de uma vez por todas a Internet das Coisas, para dentro de casa. Aparelhos domésticos inteligentes já passam a ser uma realidade. Já demos o primeiro grande passo ao adotar interruptores wifi e gadgets que controlam aparelhos via infravermelho como ar-condicionado, SmarTV, iluminação etc.

Esse é o primeiro grande passo para uma geração de apartamentos realmente inteligentes na nossa cidade. Isso é apenas o começo de uma grande revolução na nossa forma de morar.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS