Opinião

Bolsonaro brincou de governar agora mira Paulo Guedes na maior alta de preços em 20 anos que gera desgaste político – Roberto Moreira

Bolsonaro brincou de governar agora mira Paulo Guedes na maior alta de preços em 20 anos que gera desgaste político (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)

O custo político e social da falta de atenção com seu governo, leva Bolsonaro ao desespero e se render ainda mais ao Centrão. Nas cordas, o presidente acena com afagos para seus alvos prediletos que tentou desqualificar e desmoralizar com seu exército de internautas. Isolado no seu gabinete no Palácio do Planalto declarou que é “mais fácil chegar na cadeira de presidente que permanecer nela”. A frase tem cunho de livro de alto ajuda.

Com problemas no Supremo Tribunal Federal, por não conseguir aprovar teses inconstitucionais e que violam o estado direito, com uma CPI apontada para seu governo com previsão de um relatório que pode lhe custar a abertura de processo de impeachment, Bolsonaro começa a colher o que plantou: a safra de péssimas notícias e resultados de governo.

O pior cenário para o presidente não mais se sustentar no cargo vem do Agronegócio, o negócio que virou parceiro do presidente e do seu ministro da economia, o poderoso Paulo Guedes. O brasileiro está pagando o dobro do preço pelos produtos que compõem a mesa do café, almoço, jantar e do combustível que transporta safras e o trabalhador. Ao assumir o governo em 1º de janeiro de 2019, Bolsonaro pagava R$ 3,50 pelo litro da gasolina. Hoje, o combustível é vendido por até R$ 7 por conta da dolarização. A carne de 1ª no supermercado era vendida por R$ 23, agora quilo do bife está R$ 45. O frango triplicou de preço e levou o preço do ovo junto. Paulo Guedes que prometeu o botijão de gás a R$ 40 está vendo o preço ultrapassar R$ 100. Nenhum governo se sustenta com uma população não podendo consumir e msus grave, desempregada.

Sustentado no poder pelo “Centrão” que considerava a banda podre e correios do Congresso Nacional, o presidente Bolsonaro está descobrindo a fantasia que viveu em dois anos e oito meses. Ele começou a sentir que precisa se libertar do contador de novos seguidores nas redes sociais e olhar para o Brasil que está em frangalhos.

O descaso com a pandemia foi seu maior erro. O mundo já vacinou, o Brasil segue a rotina diária de discussão sobre a falta de imunizante e investigação sobre propina nas compras. Todos os brasileiros e seres dos demais países admitirem que a vacina praticamente dizimou a COVID-19, mas não existe quem convença Bolsonaro é uma meia dúzia que o seguem. Hoje, assistimos as economias do mundo crescendo e o Brasil em profunda recessão e sem um plano de metas para sair do atoleiro em que o governo federal nos enfiou.

Os próximos dias serão decisivos para transformar trevas em luzes, abrindo o cenário para duas melhores, ou a entrada no inferno para onde Bolsonaro cedeu time sempre tentou nos conduzir. Mais uma vez, o Congresso Nacional e STF poderão entrar em ação para construir saídas e levar esse governo até dezembro de 2022, se não for atropelado pelo impeachment. Toda classe política comenta o fracasso desse governo: a falta de diálogo e de um projeto de governo.

Aliados e adversários de Bolsonaro estão preocupados com aspectos de comportamento do presidente que sinaliza dialogar e pouco depois parte para o ataque. Ciro Gomes, nas últimas entrevistas tem dito que a comprovação e condenação de Bolsonaro e seus filhos em crimes de rachadinha e enriquecimento ilícito está levando o presidente a ter problemas de parabiose, ou seja, transtorno de personalidade.

Pedra Branca sem água para o povo beber

O açude Trapia, que abastece de água a população do município de Pedra Branca, no Sertão Central do Ceará está completamente seco, morto, segundo técnicos da Secretaria de Recursos Hídricos. O ex-prefeito interino, Rogerio Curdulino está sendo responsabilizado pela crise hídrica por não ter solicitado providências para manter a população com água. O prefeito Mateus Góis que assumiu o cargo há 20 dias conseguiu com o governador uma adutora para transferir água do açude Quixeramobim para Pedra Branca. A obra será feita em três meses e vai custar R$ 16,9 milhões. Até s conclusão todo o município será abastecido através de carros pipa.

Cid não participou dos encontros do PDT porque está doente

O senador Cid Gomes não participou dos fios encontros do PDT no Cariri. Cid passou o final de semana com febre. Fez cirurgia ma mão e no braço, está gripado e tem febre. O próximo encontro do partido ainda será marcado. “Vou ajustar com o Cid o local e a data”, informou o presidente do partido André Figueiredo.

Pesquisa Fecomércio

Henrique Javi, ex-secretário de Saúde do Ceará, assumiu a presidência do SESC no Ceará. Craque em gestão descanse e área social, identificou que entre segunda terça-feira não houve mirtes por Covid no Ceará após 18 meses seguidos de óbitos. Ele concedeu grande ajuda ao Instituto de Pesquisa da Fecomércio para conseguir chegar a informação inédita.

Futebol segue sem platéia

O presidente da Federação Cearense de Futebol e os dirigentes de Ceará e Fortaleza, clubes que disputam a série A, solicitaram ao governador Camilo Santana a liberação de público para os jogos no Castelão dentro da proporção do decreto que estabelece o protocolo para plateias em eventos. Camilo vai levar o pleito ao Comitê de Combate s COVID-19.

Vacina comprova eficácia e reduz casos de COVID-19 e salva vidas

(Foto: Agência Brasil)

O empresário cearense, Anastácio de Sousa, uma da pessoas influentes no setor de comunicação do nordeste, principalmente em Fortaleza, onde foi proprietário de rádios e televisão, recebeu as duas doses da Coronavac. Morando entre Lisboa e o Ceará, fez exame para viajar e descobriu que estava com Covid. Vacinado, o efeito da doença foi mínimo. “A vacina salvou minha vida”, disse o empresário que faz parte do clube dos idosos.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS