Opinião

Beleza e sustentabilidade caminham juntas

Por
Surama Geleilate

As empresas voltadas para o segmento da beleza estão cada vez mais percebendo a importância de uma produção sustentável. Sejam os fabricantes de cosméticos ou os salões de beleza, o fato é que as marcas estão buscando soluções verdes para diminuir os impactos ambientais no nosso planeta. Embora em um primeiro momento alguns possam não relacionar beleza e sustentabilidade, as mesmas caminham juntas e desassociá-las pode prejudicar as iniciativas voltadas à preservação do meio ambiente.

Os cosméticos orgânicos e saudáveis, ou “verdes”, como são chamados, se tornaram uma resposta consciente aos produtos que realizam testes em animais e que fazem uso de recursos não renováveis. Além disso, esse tipo de procedimento já não é normalizado como antes, e muitas empresas sinalizam até mesmo nos rótulos que não testam os produtos em bichos, como acontece com certificações internacionais como a People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) e Leaping Bunny.

Nos salões de beleza, uma alternativa é adotar medidas para evitar o desperdício de água e energia elétrica, como a utilização de placas solares, ajudando no aquecimento de águas para banho e permitindo uma diminuição no consumo de eletricidade. Além disso, lixeiras de coleta seletiva podem ser colocadas pelos estabelecimentos, a fim de que esses dejetos sejam recolhidos e levados semanalmente para um ecoponto, onde é feito o descarte consciente do lixo.

Outra opção bastante eficaz e que tem dado certo para muitos salões é a instalação de temporizadores que permitem menor desperdício de água, além de aparelhos sanitários com descarga dual flux, que usam menos litros. Também podem ser usados sensores de presença para economizar energia em locais com grande fluxo de pessoas, evitando o desperdício de energia elétrica.

Possibilidades não faltam e substituir as opções tradicionais por alternativas mais ecológicas se torna um caminho a ser seguido. Seja por meio de placas solares, lixeiras de coleta seletiva, sensores ou produtos com selo verde, o mercado da beleza está se reinventando e se adaptando a um momento que pede às empresas firmarem esta responsabilidade social e humana com o nosso planeta.

Surama Geleilate é proprietária da Casa Linda Flor

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS