Opinião

Areninhas garantirão comícios da campanha dos governistas em 2022 – Edison Silva

Equipamentos se revelaram bom investimento social, com dividendos políticos (Foto: Carlos Gibaja/ GE)

As Areninhas (campo de futebol menos sofisticado) foram criadas na administração do prefeito Roberto Cláudio (PDT), em Fortaleza, para que jovens da periferia tivessem espaços de lazer organizado, principalmente para a prática do esporte favorito do brasileiro, o futebol. Elas viraram atração para os vereadores. Não exigindo volumes expressivos de recursos para construí-las, o primeiro pedido do vereador para o seu bairro era um equipamento do tipo. O sucesso eleitoral dos vereadores logo chamou a atenção dos deputados, e o Governo do Estado encampou o projeto.

No curso dos próximos oito dias, desta quinta-feira (8) até o dia 15 de abril, serão realizadas em Fortaleza, sob o controle da Casa Civil do Governo Camilo Santana, cinco concorrências, de amplitude nacional, para a contratação da construção de 185 areninhas para cidades das regiões Centro Sul, Cariri, Metropolitana de Fortaleza, Serra da Ibiapaba e Vale do Jaguaribe. Muitas outras  já estão contratadas, de modo que até o próximo ano, o da eleição, em cada um dos 184 municípios cearenses mais de um desses equipamentos sejam inaugurados.

De fato, a construção de areninhas, como espaço de socialização e recreação da juventude, sobretudo a periférica, foi uma excelente ideia, também no sentido de afastar os jovens dos vícios que tantos males os têm vitimados, a partir do impedir o seu crescimento no campo da cidadania, produzindo consequências negativas às suas famílias e à própria sociedade. Quanto mais equipamentos desses foram construídos, melhor, embora sua concepção nos dias atuais seja carreada mais para a obtenção de resultados eleitorais. Os deputados governistas, e o próprio governador na campanha do próximo ano, aproveitar-se-ão muito bem das suas inaugurações e resultados.

Conciliação de interesses

Mas, se é verdade que a necessidade de dotar o Estado dos meios necessários à proteção da sociedade das consequências da pandemia tem tomado grande parte do tempo do governador, também é verdadeiro que ele, como político com pretensões de conquistar novos mandatos e ajudar os aliados, não descura da adoção de medidas que conciliem os interesses da sociedade e tenham como contrapartida o agradecimento expresso no voto. E as construções das areninhas estão incluídas no rol dessas medidas. O político, por mais sério e cioso das suas obrigações, sempre trabalha com vistas à próxima eleição, quer seja para conquistar um novo mandato ou para ajudar os amigos a obterem sucesso eleitoral.

Mais um desafio para a oposição

A oposição cearense, já tão fragilizada, talvez não contasse com esse novo instrumento de conquista de votos dos governistas. As areninhas, embora construídas com o objetivo maior de granjear prestígio a ser transformado em sufrágio, jamais poderão ser condenadas. Elas, provavelmente não tenham sido pensadas para alcançar o resultado político-eleitoral já confirmado, em Fortaleza e em vários outros municípios cearenses, mas caíram no gosto da juventude e de muitas famílias. Até mesmo denunciar o seu uso político será difícil de a oposição fazer, pois elas integram o rol de pedidos de representantes das inúmeras pequenas comunidades existentes no Ceará.

Presença do Estado em obras públicas

O custo relativamente pequeno para sua construção, no momento de impossibilidade de obras mais significativas nos municípios do Interior, por conta da crise nas finanças estaduais, as areninhas vão ser, em alguns municípios, a significativa presença do Estado em termos de obras públicas. Em mais um ano o Governo do Estado deixará de cumprir o dispositivo constitucional que o obriga a investir o mínimo de 50% do seu volume de recursos para investimentos no Interior, tanto que ele está propondo mudar a Constituição para ficar livre dessa imposição. A mudança na Constituição está para ser votada na Assembleia.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS