Opinião

A identidade do encanto!

Por
Gisella Colares

Certa vez li uma mensagem que nos convidava a medir a importância de algo pelo grau de encantamento que ela produza em nosso ser e não por métricas financeiras ou numéricas. Assim, como um fractal, esse princípio pode ser experienciado em todas as dimensões de nossa existência.

Quando passei no concurso da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística eu sabia da importância dos dados produzidos pelo órgão, o que eu desconhecia era a importância do processo de geração desses dados.

Enquanto ignorava isso, tive o sentimento de que o IBGE, apesar de sua missão, tamanho e capilaridade, era pequeno para mim… Sempre fui um coração inquieto, com sede de transformação e a percepção que tive foi de que o IBGE me oprimia.

Mas o tempo é senhor de tudo. Muitos conflitos e frustrações me oportunizaram enxergar que era eu quem queria enquadrá-lo em meus sonhos. E que os meus sonhos é que eram rígidos. Hoje, tenho a felicidade de me sentir pertencente a esse empreendimento comunitário com grandeza de propósitos incomensuráveis. Propósitos e significados não podem ser reduzidos a cálculos racionais. Sim, nosso trabalho é pleno de razão e ciência. Exige disciplina metodológica para que os dados sejam comparáveis e perseverança para que não percamos a memória que existe em uma série histórica.

Mas, realizar uma pesquisa em campo, nos quatro cantos deste país, transcende a fazer registros. É um exercício de empatia e alteridade. Entrevistar um informante não se resume à captação de dados para a produção de estatísticas oficiais sobre emprego, moradia, saúde ou educação. É reconhecer o ser humano que existe por trás daquela resposta e compreender a importância de conceder voz a cada dor, necessidade, carência, característica, alegria e potencialidade que encontramos.

Somos o início de uma cadeia de valor para a construção de soluções para a verdadeira cidadania. Porém, esse processo precisa e deve se realizar por e para todos. Exerça sua cidadania. Receba o IBGE, responda ao censo demográfico e às demais pesquisas do IBGE!

Gisella Colares é voluntária da Auditoria Cidadã da Dívida e do Coletivo Vida e Cidadania

 

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS