Opinião

A CPI que já se conhece o resultado é que pode evitar que o Brasil seja o maior cemitério do mundo com vítimas da covid-19 – Roberto Moreira

O comando da comissão de investigação que funciona no Senado (Foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado)

O Senado Federal está fazendo sua parte ao investigar os erros do governo federal no combate ao coronavírus. O negacionismo do governo Bolsonaro em relação a Covid é do conhecimento de toda opinião pública. “A gripezinha” que já matou mais de 420 mil brasileiros passou a ser do interesse do governo a partir das decisões do STF e do Congresso Nacional que assumiram o papel de protagonismo ao criar leis e fazer cumpri-las. O governo Bolsonaro está sendo obrigado a atuar e o faz de forma lenta, demorada, procurando caminhos difíceis para ajudar. A lenta liberação de recursos para instalação de UTIs é o exemplo claro.

O erro mais grave do governo foi negligenciar ao não comprar a vacina no tempo certo para imunizar a população contra a covid-19. Em apenas dois depoimentos, ficou claro o descaso, as manobras para não adquirir os imunizantes. O caso da vacina da Pfizer, onde o governo se negou a adquirir 70 milhões de doses é a demonstração clara do deboche em relação ao combate à doença.

A Comissão Parlamentar de Inquérito está fazendo as inquisições corretas. Tudo que está sendo perguntado e respondido a sociedade tem conhecimento, faltava a documentação oficial para comprovar os atos criminosos na gestão pública em relação a tarefa de combater o Coronavírus.

Os brasileiros sabem que a CPI da Covid tem suas razões políticas, que existe o confronto entre senadores governistas e da oposição e tem os que são isentos. O jogo de cena se insere no território político, as manobras também, é o caso do ex-ministro Pazuello que está fugindo da CPI, empurrando com a barriga seu depoimento que irá apenas referendar seus erros. O general sabe que terá que comparecer, sua patente não será usada para impedi-lo de sentar no banco dos réus, pelo contrário, a cúpula das Forças Armadas pretende o completo esclarecimento da passagem do general Eduardo Pazuello pelo Ministério da Saúde.

A sociedade brasileira quer ser vacinada. Os senadores, ao promoverem a realização da CPI, esqueceram ou deixaram para trás o papel do Congresso Nacional de exigir a imediata compra das vacinas, o maior desejo da nação. O cidadão e a cidadã continuam implorando por uma decisão séria em relação a compra e chegada dos imunizantes.

É vergonhoso, para um país como o Brasil, testemunhar que cerca de 5 milhões pessoas aguardam receber a 2ª dose da vacina há 20 dias, seria o reforço necessário para a plena imunização dos brasileiros, dentro da sua eficácia.

O cidadão mais inocente do Brasil já sabe que o resultado da CPI irá incriminar o governo, também sabe que o relatório não trará a vacina para atender a demanda das crianças, jovens, adultos e idosos. O Brasil quer a vacina. O Brasil não pode ser o maior cemitério do mundo.

A retomada do turismo interno

O governo analisa pedido do setor conhecido como meio de hospedagem para liberar piscinas, parques aquáticos e percentual maior de ocupação de apartamentos na hotelaria. Se a semana mostrar queda no índice de contaminação por Coronavírus, o turismo interno ganhará um fôlego.

Xô comunismo em Crateús

O prefeito de Crateús, Marcelo Machado, (Solidariedade) destruiu o reduto comunista do Ceará. Foi reeleito com quase 80% dos votos. Queria ter derrotado o deputado Carlos Felipe (PC do B) que fugiu da disputa. Carlos Felipe anunciou aposentadoria da política.

Refis em Fortaleza

A Prefeitura de Fortaleza que tem seu orçamento curto para manter a cidade funcionando plenamente, tem uma nova despesa por conta do Coronavírus. Custear campanha de vacinação, comprando material, EPIs e garantindo toda a estrutura. São R$ 15 milhões por mês. Para bancar a despesa o prefeito Sarto implantou o REFIS, recebimento de tributos atrasados sem juros e correção. Uma boa oportunidade para colaborar no combate a covid-19.

Cuidado

O DNIT passou a cobrar multas nas rodovias brasileiras através de radar móvel. Também reativou os fotossensores nas estradas. O faturamento será usado na recuperação das estradas.

Cid critica Bolsonaro por não ter projeto

Senador pedetista reclamações de desenvolvimento (Foto: Divulgação)

O senador Cid Gomes lamenta a falta de empenho do governo Bolsonaro em combater o desemprego. “São 14 milhões de desempregados e nenhuma iniciativa para gerar empregos por parte do governo Bolsonaro, na verdade um governo sem projetos e metas”. Segundo Cid Gomes só um governo com projeto de desenvolvimento poderá trazer a “esperança de volta”.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS