Economia

Vendas de veículos têm queda de 21,6% em 2020, diz Fenabrave

Apesar do número, emplacamentos de veículos cresceram em dezembro e o ano de 2020 teve queda menor do que a esperada pelo setor

As vendas de veículos novos tiveram uma retração de 21,6% em 2020 na comparação com 2019, segundo balanço divulgado ontem (5), pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Foram emplacados 3,16 milhões de veículos ao longo do ano passado, contra 4,03 em 2019.
As vendas de automóveis tiveram queda de 28,5% em 2020 na comparação com o ano anterior. Foram comercializados 1,61 milhão de carros no ano passado, enquanto em 2019 as vendas chegaram a 2,26 milhões.

Emplacamentos
Ainda de acordo com a Federação, o mês de dezembro registrou o maior volume de emplacamentos de veículos de todo o ano de 2020. Considerando todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos), foram emplacadas 363.163 unidades, em dezembro, contra 334.349 veículos, no mês anterior, numa alta de 8,62%.
O levantamento, que tem como base os dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), apontou ainda que, em relação a dezembro de 2019, quando foram comercializadas 370.748 unidades, a retração foi de 2,05%.
“Os principais fatores que influenciaram nessa melhora, principalmente, a partir do segundo semestre, foram a manutenção da taxa de juros, em um patamar baixo e o Auxílio Emergencial, oferecido pelo Governo Federal, que colaboraram para o aquecimento do comércio e para a baixa inadimplência. Com isso, melhorou a oferta de crédito, favorecendo a tomada de decisão para a aquisição de veículos”, explica o Presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.
Ele explica ainda que “o mercado só não foi melhor em função da crise enfrentada pelas montadoras, que tiveram problemas com falta de peças e componentes, além das regras para manter o distanciamento social nas unidades fabris”.
No ranking histórico (entre todos os meses de dezembro, desde 1957), dezembro/2020 está na 10ª posição e o acumulado de janeiro a dezembro está na 15ª colocação. (com agências)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS