Economia

Surfando a onda

Mercado imobiliário aquecido leva construtoras ao terceiro feirão seguido após a quarentena

Flash Imobiliário
por Ricardo Bezerra
ricardobezerra@ootimista.com.br

Desde 2011 não se via tanta euforia no setor imobiliário. As vendas “bombando”, os novos lançamentos começando a acontecer em profusão e o investidor, finalmente, dando real preferência ao bem material mais valioso que existe: o imóvel.
Com a baixa taxa de juros da economia (a menor da série histórica – Selic), a locação imobiliária passou a ser muito mais interessante (e rentável) do que as aplicações financeiras tradicionais, tendo como lastro a propriedade imobiliária, cuja tendência natural é a valorização com o passar do tempo. O imóvel é, definitivamente, “a bola da vez”. Todo esse ambiente altamente favorável levou o outro lado do balcão – a indústria da construção – a pisar no acelerador.
O Estoque, que outrora foi gigantesco, começou a diminuir, fazendo com que o nível médio de descontos caísse também na mesma proporção. A sensação, por mais incrível que pareça, mesmo em meio a uma pandemia e após o enfrentamento de uma quarentena com quase 90 dias de duração, é a de que a bonança chegou após a tempestade.
As pessoas, trancafiadas em suas residências por muito tempo, começaram a perceber uma realidade diferente de quando passavam o dia fora no trabalho. A sala que era grande, ficou pequena. A varanda, antes perfeita, não presta mais. A cozinha, o quarto de casal…Enfim, nada mais satisfaz o “novo normal” das famílias relativamente à questão imobiliária.
A vontade de mudar de casa levou ao maior aquecimento do setor desde o “boom” do início da década passada. E o mercado de Fortaleza, especificamente, vivencia um momento ainda mais especial e propício à aquisição de imóveis. É o encontro inusitado de dois fatores preponderantes, a saber: juros baixos e um estoque considerável. Isso significa que ainda é possível encontrar preços acessíveis e aproveitar, ao mesmo tempo, as benesses das menores taxas de financiamento da história. Esse é o verdadeiro “momentum” do mercado imobiliário.
Nesse sentido, visando zerar logo esse estoque e demonstrar ao público as excelentes oportunidades existentes, de forma rápida, eficaz e segura, as principais empresas incorporadoras se unem nos chamados feirões imobiliários. Para se ter uma ideia, após o “lockdown”, num intervalo de apenas 60 dias, já foram realizados dois grandes eventos de mesmo nome: o Imóvel Fest, sendo um no Shopping Riomar e outro no Iguatemi.
Agora chegou a vez dos imóveis mais populares, cujo segmento não foi afetado nem mesmo nos piores momentos da quarentena. Começa hoje o Super Feirão do Imóvel Econômico, no Shopping Parangaba, onde a quase totalidade dos principais players se juntou para agitar ainda mais o setor, com expectativa de vendas recordes.
É a proatividade em meio à euforia. O mercado imobiliário de Fortaleza está surfando uma bela onda, que pode demorar a quebrar, caso os bons ventos continuem a soprar forte.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS