Economia

PIB de Fortaleza ultrapassa o de Salvador e se torna o maior do Nordeste, diz IBGE

Dados de 2018 do IBGE apontam outra cidade cearense que teve destaque: São Gonçalo do Amarante, que está entre os 100 maiores municípios do país em relação ao PIB per capita, ocupando a 95ª posição

Giuliano Villa Nova
economia@ootimista.com.br  


Fortaleza se tornou a cidade do Nordeste com o maior Produto Interno Bruto (PIB), ultrapassando Salvador e Recife, outros grandes polos da Região. De acordo com os resultados do Produto Interno Bruto – PIB dos Municípios de 2018, divulgados ontem (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a capital cearense alcançou um PIB de R$ 67,02 bilhões em 2018, o que representa 1% de participação no PIB no Brasil e 6,67% no PIB do Nordeste. Além disso, Fortaleza integra a lista das 10 cidades com o maior PIB do país, ocupando a 9ª posição no ranking nacional.
“Nenhum estado ou município consegue modificar o PIB sem ter feito um trabalho ao longo de alguns anos. O crescimento do PIB depende muito de questões estruturais. E também faz diferença ter uma máquina pública estruturada, que acolha as iniciativas privadas, em que o governo prima pelas parcerias público-privadas e que tem as contas públicas saneadas, pois permite aos gestores públicos fazer investimentos. Esse conjunto de fatores ocasionou esse crescimento de Fortaleza e do Ceará como um todo”, analisa o economista e consultor empresarial José Maria Porto.
Outra cidade cearense que teve destaque no levantamento do IBGE foi São Gonçalo do Amarante, que está entre os 100 maiores municípios do país em relação ao PIB per capita, ocupando a 95ª posição, com um PIB de R$ 87.086,02/pessoa. O 2º maior PIB per capita do Ceará foi do Eusébio (R$ 46.830,08) e o 3º, de Maracanaú (R$ 46.240,54). Nesse quesito, Fortaleza aparece apenas em 5º lugar (R$ 25.356,73/pessoa).
Com relação às concentrações urbanas, a região de Fortaleza está entre as 10 maiores do país por valor do PIB, somando R$ 90,35 bilhões. A região inclui, além de Fortaleza, os municípios de Maracanaú, Caucaia, Eusébio, Aquiraz, Maranguape, Pacatuba e Itaitinga. “Apesar de nossas cidades terem como forte o setor de serviços, Maracanaú, Caucaia e Eusébio possuem um parque industrial de grande potencial”, ressalta José Maria Porto. “Além disso, as construtoras instaladas nessas cidades têm capacidade para realizar projetos no Nordeste todo”, completa.
De acordo com o consultor empresarial, para manter esse crescimento positivo no futuro, “é importante que o Ceará invista no processo de industrialização, favoreça o fluxo de turismo, pois temos atrações riquíssimas no litoral e no interior e continue tendo a visão de planejamento e longo prazo”, projeta José Maria Porto.
Em termos nacionais, São Paulo lidera o ranking dos maiores PIBs, com uma participação de 10,2% de toda a riqueza produzida no país. Em seguida, vem o Rio de Janeiro, com 5,2%. Os dados apresentados pelo IBGE ainda confirmam a concentração de renda no Brasil: do total de 5.570 cidades do país, apenas oito delas são responsáveis por 25% do PIB. Por outro lado, 1.346 municípios com os menores PIBs responderam, juntos, por apenas 1% do PIB nacional.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS