Economia

Pedidos de Seguro-Desemprego caem 3% no Ceará em 2020

De acordo com o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), os números possibilitaram um aporte de R$ 1.023.330.851,00 na economia do Ceará, com um valor médio da parcela em R$ 1.200,12

 (Foto: Lidianne Andrade/MyPhoto Press/Folhapress)

O Ceará apresentou em 2020 194.900 solicitações de Seguro-Desemprego. O número é 3% menor do que o registrado em 2019, quando foram solicitados 201.217 pedidos.
O dado também é inferior aos resultados de outros estados da região Nordeste, como a Bahia e Pernambuco, que registraram 312.734 e 210.172 solicitações, respectivamente. De acordo com o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), os números possibilitaram um aporte de R$ 1.023.330.851,00 na economia do Estado, com um valor médio da parcela em R$ 1.200,12.

Impactos
De acordo com o coordenador do Seguro-Desemprego do IDT, Neto Oliveira, “apesar do impacto da crise do coronavírus sobre a atividade econômica no estado, o decréscimo registrado pode estar relacionado a uma melhora da economia, a partir dos planos de retomada da economia pelo Governo do Ceará; e aos efeitos da Medida Provisória nº 936, que permite jornada reduzida e a suspensão no contrato de trabalho, contribuindo para uma redução no número de desligamentos”.

Redução
Ele destaca ainda que a redução da busca pelo benefício pode ser explicada também pelas mudanças na legislação trabalhista, que reduziram as possibilidades do trabalhador receber o benefício.
Dados da Base de Gestão do Seguro-Desemprego no Ministério da Economia revelam que os pedidos se concentram principalmente nos setores de Serviços (40,45%), seguido pelo Comércio (26%) e a Indústria (21,88%), Construção Civil (9,52%) e Agropecuária (2,15%). De acordo com a mesma fonte, se analisadas por gênero, as procuras pela habilitação ao benefício no mesmo mês, demonstram uma maioria de solicitações pelo sexo masculino (63,55%), enquanto 36,45% foram requeridos por mulheres.

Faixa salarial
A maior faixa salarial dos trabalhadores cearenses está entre os que ganham 1,01 a 1,5 salários-mínimos, que são 108.308 trabalhadores.
Segundo o IDT, as unidades já estão realizando atendimento presencial, de forma agendada, e o trabalhador que precisar dar entrada no benefício e não deseja deslocar-se à Unidade pode acessar o serviço pelo chatbot, pelo site www.idt.org.br, ou por meio do e-mail: sd.ce@idt.org.br.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS