Economia

Não é suspiro, é tendência

Últimos dados do mercado imobiliário em Fortaleza mostram crescimento sustentado

Flash Imobiliário
por Ricardo Bezerra
ricardobezerra@ootimista.com.br

Qualquer resultado positivo, por menor e mais insignificante que seja, representa muito quando o cenário está excessivamente negativo. O difícil mesmo é superar ou manter um ritmo de crescimento satisfatório, consistente e sustentado. Em outras palavras: não é fácil melhorar o que já é bom.
Pois bem, o mercado imobiliário de nossa capital tem demonstrado uma surpreendente recuperação desde o fim da malfadada quarentena. Para termos uma pequena noção dessa excepcional evolução da indústria da construção, temos que voltar um pouco atrás para relembrarmos que a velocidade de vendas (VSO) do principal segmento do setor, o chamado “residencial vertical” (Apartamentos do médio/alto padrão) havia caído para míseros 1% ao mês, nos piores momentos da tal “parada obrigatória”.
Isso significa que, naquele tempo, o mercado precisaria de inimagináveis 100 meses para zerar o estoque. Mas, segundo os dados divulgados na última sexta-feira (23), pela Inteligência de Mercado da Lopes Immobilis, por incrível que pareça, logo no primeiro mês após o término do “lockdown”, em junho, a velocidade saltou para 2,86%, representando um aumento de quase 200% ante a média dos 3 meses anteriores.
Logo após, em julho, essa velocidade cresceu ainda mais, chegando a 4,91%, ou seja, quase o dobro da anterior. Já em agosto, atingiu o maior patamar dos últimos anos, com incríveis 7%. E foi justamente neste momento, quando a velocidade de vendas da base do mercado imobiliário local (que movimenta a vida das principais construtoras e imobiliárias) chegou a este belíssimo percentual, que todos os que fazem o setor perceberam que, talvez, teríamos atingido um pico o qual seria muito difícil de ser mantido.
Por isso, os números de setembro e os vindouros seriam essenciais para atestarmos de forma inequívoca, que todo esse crescimento e o otimismo gerado por ele não seriam apenas um suspiro, mas sim, uma tendência real e sustentada.
Nunca uma demonstração de resultados foi tão esperada. Então, finalmente, setembro chegou e nos apresentou uma ótima situação, tendo atingido a marca de 6,9%, praticamente a mesma dos 30 dias anteriores.
Assim, o mercado conseguiu se manter por cima, com um ótimo desempenho, mostrando que agora é “velocidade de cruzeiro”. E todos os meses serão importantes doravante, uma vez que este percentual tem que se manter sempre acima de 5% para ser considerado bom.
Eu, particularmente, acredito que conseguiremos, pois na minha experiência de 30 anos nesse complexo segmento confesso que nunca presenciei um momento tão propício à realização de grandes negócios imobiliários, no sentido amplo.
Talvez algum incrédulo contumaz possa até repetir aquele venho termo: “eu já vi esse filme”. Porém, eu retruco: não, esse filme é inédito! Afinal, é a primeira vez na história que a economia nacional vivencia uma experiência diferente, a de juros negativos.
E esse fato é o melhor que poderia acontecer para o setor imobiliário, pois como eu digo sempre, somos um mercado seguro porque vendemos um bem de raiz que nos dias atuais, por menor que seja o aluguel, poderá gerar um rendimento verdadeiramente atraente, consistente e duradouro, superior às aplicações financeiras tradicionais.
O imóvel é hoje, na minha modesta opinião, o melhor negócio que existe para quem quer preservar o poder de compra da moeda e auferir bons dividendos. Viva o mercado imobiliário!

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS