Economia

Moedas digitais se valorizam e ampliam mercados

Criptomoedas, como o bitcoin, apresentam alta rentabilidade este ano. Analistas esclarecem se esse investimento pode ser um bom negócio para você

Giuliano Villa Nova
economia@ootimista.com.br

crédito: Beatriz Bley

Nos últimos dias, o mercado internacional de investimentos foi surpreendido por Rick Rieder, CIO da Blackrock, maior gestora de ativos do mundo. Para ele, o bitcoin pode substituir o ouro. “A criptomoeda veio para ficar. É um mecanismo durável, eu acho que vai tomar o lugar do ouro em grande parte”, disse.
Assim como ele, diversos analistas e renomados estudiosos de investimentos têm exaltado as vantagens de se investir nas criptomoedas. No entanto, esse ativo é acessível para todos os investidores? Para quem ele é mais indicado? Apresenta riscos?
Antes de pensar em destinar recursos para o bitcoin, é importante responder a essas perguntas, que deixam mais claros o contexto e o modo de funcionamento das moedas digitais. “O bitcoin é uma criptomoeda. Uma criptomoeda é um dinheiro digital, que não é emitido nem regulamentado por nenhum banco central. O bitcoin é a cripto mais conhecida. Foi desenhado pela primeira vez em 2008, após a crise que colocou em prova as áreas de riscos dos bancos ao redor do mundo”, explica Rafael Meyer, head de Renda Variável e Derivativos da Verk Investimentos.
Ele esclarece que um bitcoin é criado a partir de um complexo processo computacional, conhecido por mineração. “As transações são feitas e registradas em um índice global, conhecido como ‘blockchain’, uma espécie de banco de bitcoins”, observa.

Funcionamento
A partir da conceituação, é mais fácil compreender como as criptomoedas funcionam. “Os bitcoins ficam armazenados em uma rede global de computadores, podendo ser transferidos rapidamente para qualquer pessoa no planeta. É um investimento indicado para médio ou longo prazo, que apresenta muita oscilação, mas que tem acumulado uma enorme valorização”, detalha Ney Pimenta, CEO da BitPreço. “É muito fácil investir, basta fazer um cadastro em uma corretora de criptomoedas e o usuário já poderá investir pequenos valores, a partir de R$ 100”, completa.
Mas por que as criptomoedas se valorizaram tanto? Rafael Meyer conta que esse salto acompanhou a valorização de outros investimentos. “A velocidade com que o bitcoin se recuperou foi maior do que do índice Ibovespa, por exemplo. Esse crescimento está atrelado ao número de investidores institucionais que acreditam na valorização do ativo no longo prazo”, observa o especialista da Verk Investimentos.
Dessa forma, o preço da moeda depende apenas de quanto as pessoas estão dispostas a pagar por elas. “Recentemente, os contratos futuros de bitcoin na bolsa de Chicago atingiram o recorde de US$ 1 bilhão em contratos abertos. Essa é a única oferta regulamentada e firmada em dinheiro nos EUA”, relata Rafael Meyer.
Valorização
Um ponto positivo das criptomoedas é a grande liquidez, além da enorme valorização em longo prazo. “Quando criado, o bitcoin custava apenas alguns centavos e hoje custa milhares de dólares. É também uma excelente reserva de valor, com a vantagem que você pode carregá-lo para onde desejar”, observa Ney Pimenta, CEO da BitPreço.
Para quem pretende investir, ele recomenda não demorar muito, mas começar com calma. “O bitcoin tem períodos cíclicos de valorização, a cada 4 anos, quando ocorre uma redução de sua oferta no mercado. Em meados de 2020 tivemos mais um halving, que agora está se refletindo num grande aumento dos preços. Sugiro começar com pequenos valores e acompanhar este investimento para entender melhor o mercado”, diz Ney Pimenta.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS