Jornal Impresso

Inspirar pessoas a acreditar que suas conquistas são possíveis

Diretora da marca de moda consolidada no Estado, a arquiteta compartilha sua trajetória e visões sobre liderança e compromisso socioambiental

À frente da Estilo Feitiço desde 2012, Mariana Holanda aposta na essência humana da marca para a continuidade do crescimento do negócio familiar. A valorização dos colaboradores e a atenção aos desejos do cliente são chaves ao sucesso.

Arquiteta e urbanista formada pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Mariana tem especialização em Gestão de Negócios pela Unichristus e MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Após passar por vários setores da empresa, ela assumiu o comando da marca ao lado da mãe, dona Eliana, expandindo os negócios.

A diretora menciona ainda o compromisso da marca com a sustentabilidade, entendendo que a indústria da moda é uma das mais poluentes. A redução de impacto ambiental se dá com tingimentos e fibras mais naturais, por exemplo, além do uso de energia limpa na produção, com um novo parque solar, investimento superior a R$ 800 mil feito para produzir a energia usada na fábrica e nas lojas da marca.

Criada há 31 anos, a empresa hoje mantém nove lojas e fábrica em Fortaleza, mas acompanha a migração parcial do mercado para as vendas digitais. Para 2021, a ideia é levar o atacado também para o e-commerce, ampliando a força de revenda no Norte e Nordeste.

O Otimista – Como uma arquiteta foi parar no mundo da moda?

Mariana Holanda – O mundo da moda fez parte da minha vida desde muito pequenininha, desde o início da Estilo Feitiço. Meus pais resolveram montar a marca quando eu tinha nove anos. Surgiu na garagem da minha casa, 31 anos atrás. As máquinas funcionavam na garagem e os tecidos eram guardados embaixo das nossas camas. Eu brincava entre as máquinas. Então, a empresa e a moda fizeram parte da minha vida desde então. Era o sonho da minha mãe, dona Eliana, trabalhar com moda, e meu pai, Dr. Holanda, resolveu realizar esse sonho e aceitou esse desafio. Ele, médico, e ela, arquiteta, não tinham preparação ou formação para a moda, mas criaram o que é hoje essa marca tão inspiradora.

Nós produzíamos camisas de cambraia bordadas a mão. Percebendo a necessidade de mercado da moda masculina, começamos também a produzir camisas em tecido natural, de linho, e depois o mix de produtos foi se ampliando.

O Otimista – O sucesso da marca e a necessidade de ampliação do portfólio aconteceram naturalmente? 

Mariana – Os clientes pediam. Por que não disponibilizar outras peças para compor esse look? Daí, como fazemos até hoje, atendemos os pedidos dos clientes.

O Otimista – Você viu surgir a marca. Quando decidiu trabalhar na empresa?

Mariana – Tudo se iniciou nas férias do colégio, na verdade. Eu vinha para a empresa ajudar no que fosse preciso: servia cafezinho, vendia, arrumava estoques… Fazia de tudo e já passei por todos os setores. Enquanto eu fazia a faculdade de arquitetura, que fica na mesma avenida (João Pessoa e avenida da Universidade), nos períodos livres já trabalhava um pouco. Eu dava minha contribuição à empresa. Depois que me formei, fui fazer pós-graduação em Barcelona (Espanha), mas resolvi voltar para trabalhar com moda e com o negócio, porque isso é o que me realiza.

O Otimista – Quais características definem a Estilo Feitiço? 

Mariana – Valorizamos muito as pessoas: buscamos crescer sustentavelmente e estar ao lado dos funcionários e clientes para a realização dos sonhos deles. Somos uma marca muito humana e regional. Somos 100% cearenses.

O Otimista – Você falou da realização de sonhos das pessoas. Primeiro, com a decoração, do ambiente, e agora com a moda. É o mesmo sentimento?

Mariana – Proporcionamos o bem-estar e o empoderamento. Buscamos inspirar as pessoas a acreditarem que suas conquistas são possíveis. Este é o nosso propósito.

O Otimista – E quais são as estratégias da marca para manter a presença no mercado e crescer mesmo após três décadas de atividade?

Mariana – Buscamos nos adaptar às tendências, fazemos sempre pesquisas de mercado e contamos com uma equipe de profissionais competentes e super dedicados. Uma marca é resultado da capacidade e da dedicação dos seus colaboradores, seguindo um propósito. E quanto mais claro o propósito, maior o sucesso. Aqui, eles buscam inovar em suas áreas todos os dias, acompanhando os caminhos do mercado. Com base nisso é que a gente tem crescido e se mantido vivos até hoje.

O Otimista – Além da formação, como você se mantém pessoalmente atualizada hoje em dia?

Mariana – Faço cursos, estudo o tempo inteiro e leio muito. Estudo marketing, e-commerce, gestão comercial, gestão financeira, reaprendizagem criativa, dentre outros. Proporciono reciclagem para a equipe e vou junto, pensando fora da caixa e visualizando lacunas, oportunidades, tendências de consumo e mudanças da sociedade. Fazemos roupa para as pessoas, que estão num meio em constante transformação. Então, precisamos estar em transformação e atualização também.

O Otimista – O que te inspira como empresária e líder? 

Mariana – Minha inspiração é ver o brilho nos olhos dos funcionários e clientes, a realização dos sonhos deles. Vejo nisso o quanto posso participar da vida das pessoas, contribuir para empoderá-las a acreditarem que são capazes. Isso é muito forte na minha vida. Hoje, temos 75 funcionários e buscamos estar sempre juntos deles. Em 2021, estamos dando ainda mais atenção ao setor de desenvolvimento de pessoas.

O Otimista – Parte de um mercado amplo, a fidelização de uma marca de moda é importante. Como se dá a relação da Feitiço com os clientes? 

Mariana – Cada vez mais buscamos estar próximos dos nossos clientes. No aniversário de 30 anos, fizemos um jantar com parte dos clientes, onde eles foram convidados a co-criar com nossa equipe de desenvolvimento de produtos. Isso fez com que eles sentissem mais proximidade com a marca. Para 2021, são elaboradas muitas outras ações. O nível de fidelização é grande e temos muitos deles promovendo a marca. Isso nos deixa muito felizes, em poder participar da vida das pessoas.

O Otimista – A produção é 100% cearense. Como a empresa trabalha para valorizar a moda local?

Mariana – A maior parte da nossa matéria-prima é nacional. E tudo começa no estilismo, criando as peças. Nossas estilistas são formadas aqui no Ceará, valorizamos a mão-de-obra local, com nossos departamentos de corte, modelagem e costura compostos com todas as colaboradoras registradas, trabalhando em Fortaleza.

O Otimista – Onde a Feitiço está presente hoje?

Mariana – Hoje temos sete lojas físicas, sendo uma de atacado. E ainda o e-commerce, com plataforma nova lançada em janeiro de 2020, pouco antes da pandemia. O melhor posicionamento digital fez com que conseguíssemos passar pela pandemia sem sofrer tanto e atendendo nossos clientes pela plataforma e também pelo WhatsApp. O varejo tem fatia maior no nosso faturamento, mas em 2021 estamos programando o desenvolvimento do nosso atacado é maior projeção nacional, como a extensão dessa venda em grande quantidade à nossa plataforma de e-commerce. É uma oportunidade de complemento de renda, ao revender as roupas. Hoje temos revendedoras e multimarcas principalmente no Norte e Nordeste do País.

O Otimista – Os clientes aderiram aos novos canais de compra durante a pandemia? 

Mariana – Em abril, estávamos todos receosos, mas como vestimos muitos profissionais liberais ou de setores essenciais que não puderam parar durante os meses de isolamento social, muita gente precisou continuar trabalhando e consumiu.

O Otimista – A venda presencial não foi deixada de lado porque é ainda a primeira opção de parte do público. Quais mudanças aconteceram nas lojas?

Mariana – Enquanto trabalhávamos no atendimento remoto, a equipe estava sendo treinada para o atendimento presencial. Quando voltamos a atender na loja física, fizemos novas contratações e a equipe já estava treinada a proporcionar experiência diferenciada aos clientes. No pós-pandemia, o público ficou mais exigente. Os protocolos foram seguidos rigorosamente. No atendimento virtual, buscamos através de um bilhete ou uma ligação estender esse carinho e cuidado da experiência física.

O Otimista – Quais ações de sustentabilidade implantadas você destacaria? 

Mariana – Temos também várias preocupações com relação a nossa missão no mundo e a diferença que a gente vai fazer para as pessoas e para o meio-ambiente. Trabalhamos com tecidos biodegradáveis, que são mais facilmente decompostos quando descartados. Abolimos também as embalagens de plástico, que hoje são de papel. Já nosso Parque solar foi instalado na coberta da indústria, estrutura de 1.500m². Usamos 100% de energia renovável em todo o parque fabril, no bairro Montese, e também usamos essa mesma energia solar nas lojas. O consumo é bem alto pelo número de máquinas na fábrica e pela climatização das nossas lojas.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS