Economia

Hapvida e Intermédica negociam fusão que pode criar companhia no valor de R$ 100 bi

Proposta foi apresentada ao conselho de administração da Intermédica na sexta (8) e divulgada pelo Hapvida em publicação de fato relevante. A negociação tem potencial para criar a maior companhia no segmento de saúde do Brasil

Redação O Otimista
redacao@ootimista.com.br


Está em andamento uma negociação que pode resultar na fusão do Grupo Hapvida com a Notre Dame Intermédica. Se concretizada, a fusão pode gerar uma empresa com valor de mercado em R$ 100 bilhões. A informação foi divulgada na sexta-feira (8) em publicação de fato relevante do Hapvida.
A negociação tem potencial para criar a maior companhia no segmento de saúde do Brasil. O valor de mercado do Grupo Hapvida é hoje de R$ 53 bilhões, já a Intermédica tem valor aproximado em R$ 48 bilhões, totalizando uma nova companhia com valor em torno de R$ 100 bilhões.

Proposta
A proposta de fusão foi apresentada aos membros do conselho de administração da Intermédica na sexta-feira e precisa ser aprovada pelos órgãos reguladores e também pelos acionistas das duas companias. “Se consumada a combinação de negócios proposta, a companhia (Hapvida) permanecerá com suas ações negociadas no Novo Mercado da B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (“B3”), sendo que os atuais acionistas da companhia e da GNDI (Intermédica) passarão a deter, respectivamente, 53,1% e 46,9% da companhia (nova empresa), após a combinação dos negócios”, diz um trecho do fato relevante.
A negociação envolve ainda um prêmio de 10% sobre ação da Intermédica no período de 20 dias de negociação antes de 21 de dezembro.
A proposta apresentada aos membros do Conselho de Administração da GNDI contempla a expansão do Conselho de Administração da Companhia, que passará a contar com 9 membros, sendo 2 indicados pela GNDI, 2 independentes e 5 indicados pelos acionistas da Hapvida, “além da intenção de manutenção do atual CEO da GNDI em posição estratégica na companhia, após a combinação de negócios”, destacou a Hapvida.
Já para a criação de alinhamento no processo de integração e o aproveitamento de todo o potencial de geração de valor decorrente da combinação de negócios proposta, a Hapvida destacou que pretende oferecer e negociar de boa fé, com os principais executivos da GNDI, um pacote atrativo de remuneração, incluindo incentivos de longo prazo baseados em ações.
Hapvida e NotreDame são as maiores operadoras de planos de saúde do Brasil listadas na Bolsa de Valores de São Paulo e também administram hospitais.
Segundo o Credit Suisse, a união das empresas criaria um grande player privado do setor no Brasil. “Há complementaridade geográfica, o que cria valor e reduz as preocupações antitruste. Um movimento há muito esperado pelos investidores”, avaliam os analistas.

Impacto na Bolsa
Na tarde da sexta, o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, havia informado sobre a possível fusão e com isso as ações das companhias de saúde Hapvida (HAPV3) e NotreDame Intermédica (GNDI3) tiveram um dia de disparada na sessão do dia, sendo as maiores altas do Ibovespa em um pregão.
Os ativos GNDI3 chegaram a subir 32,15%, a R$ 95,41, na máxima do dia, enquanto os papéis HAPV3 chegaram a saltar 27,49%, a R$ 18,18, sendo consideradas como as maiores altas do Ibovespa em uma sessão já bastante positiva para o índice.
As ações chegaram a amenizar durante a sessão, mas com alta sempre acima dos 10% após a notícia, alta que voltou a se intensificar depois de confirmadas as negociações. Os papéis GNDI3 fecharam a sessão com um salto de 26,59%, a R$ 91,40, enquanto HAPV3 saltou 17,68%, a R$ 16,78%. (com agências)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS