Economia

Empresários buscam se adequar à sustentabilidade e ao bem-estar

As propostas de estabelecimentos e produtores estão cada vez mais alinhadas às demandas. O contato aproxima e impulsiona o consumo, com as bandeiras da gastronomia saudável, funcionalidade e cuidado com o meio-ambiente

Lucas Braga
economia@ootimista.com.br


A busca pela alimentação à base de plantas (ou plant-based, do inglês), vem fazendo com que as empresas se adaptem e busquem um serviço aliado ao bem-estar e qualidade de vida. Em Fortaleza, o Manju Café associa cardápio mais natural à experiência de saúde e relação com os vegetais na alimentação e ornamentação, com venda de plantas.

Sasha Reeves, proprietária do Manju e diretora do Grupo Ayo, destaca pratos como bruschetta com salsa de abacate; tapioca com manteiga de amendoim, banana e coco; e  cappuccino italiano com opção vegana.

“Temos opções para atender a todas as restrições alimentares. Queremos conectar as pessoas ao que elas comem e fazer diferença na vida delas. Temos tido alta receptividade porque, após o isolamento, as pessoas querem voltar à rotina de treino e alimentação balanceada”, analisa, detalhando que é possível consumir com consciência e equilíbrio sem restrições severas.

Andrezza Vasconcelos, sócia-proprietária do Descoberta Café, concorda e recomenda experiências graduais com novos tipos de alimentação, como a inserção de pratos veganos no dia a dia, antes de iniciar restrições definitivas, para “preparar o paladar e se acostumar”. Aberto esse ano, o estabelecimento mantém cardápio inteiramente vegetariano e vegano. Ela destaca boas práticas de descarte de resíduos. “O lixo orgânico vira adubo natural para as plantas. Temos muitas. Fazemos coleta seletiva aqui, combatemos o desperdício e nossos copos para viagem são compostáveis”, exemplifica.

O formato do negócio partiu de experiências pessoais de Andrezza, após períodos vegetarianos e intolerância à lactose – para ela, os laticínios eram os mais difíceis de abrir mão. “A gente tem essa cultura dos laticínios em quase todas as refeições: leite no café, leite no suco, queijo no baião”. Hoje vegana, ela explica que os diferenciais do veganismo estão no estilo completamente adaptado a essas escolhas, para além da alimentação, como vestuário (sem couro e seda, por exemplo) e itens de higiene e limpeza.

Há pouco mais de um ano, largou também mel e ovos. “Não diria que é difícil. É questão de adaptação, é processual, tem que se dar tempo, se respeitar. Minha jornada leva vários anos, já”, frisa. “A sustentabilidade não vai sair de moda porque nosso planeta não vai aguentar se não fizermos algo por ele. Ser totalmente sustentável é uma utopia, mas o que consigo fazer, vou aplicando.

Assim, oferece hoje opções variadas no Descoberta, explorando as opções nutritivas e convidativas dos vegetais. Destaques são a limonada de café, os sanduíches e, inclusive, sobremesas veganas.

Mercado revelador

A demanda por produtos saudáveis de marcas conscientes tem crescido, nas últimas duas décadas. Os consumidores estão mais atentos aos rótulos, ingredientes, benefícios e posturas das empresas. É o que diz Rodrigo Carvalho, diretor da Positive Brands, fabricante de marcas como “A Tal da Castanha” e “Jungle”.

“Há maior preocupação com a saúde e com o planeta. Alimentos veganos e plant-based trazem esse grande benefício de cortar um atravessador da alimentação, o animal. Isso reduz o desmatamento, a emissão de gases e o uso de água e solo”, diz, lembrando ainda da priorização dos orgânicos e maior rejeição aos agrotóxicos.

Assim surgiu “A Tal da Castanha”, há cinco anos e hoje líder no País em leites vegetais e produtos à base de castanhas e outras oleaginosas. Além de plant-based, a marca é “ultra-clean”, com número reduzido de ingredientes, todos naturais, sem aditivos.

No fim de 2019, também ao perceber a demanda, foi lançado o “Jungle”, isotônico natural e orgânico, pioneiro na categoria, sem aditivos químicos. “Vimos que os isotônicos, produtos geralmente usados por atletas, tinham corantes, aromas e adoçantes artificiais, um paradoxo para quem quer cuidar da saúde”, completa Rodrigo.

Serviço

Manju Café & Plantas

Endereço: Av. Chanceler Edson Queiroz, 100 – Patriolino Ribeiro

Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 6 às 22 horas; sábado das 7 às 15 horas

Telefone (85) 3046-1665

Instagram @manjucafe

Descoberta Café

Endereço: rua Waldery Uchôa, 3 –  Benfica

Horário de funcionamento: terça-feira a sábado, das 14h30 às 20 horas

WhatsApp (85) 99183-3082

Instagram @descobertacafe

A Tal da Castanha e Jungle

Instagram @ataldacastanha e @jungle.organic

site: loja.ataldacastanha.com.br

 

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS