Economia

Como se tornar um investidor partindo do zero?

Contar com orientação especializada traz resultados mais rápidos. Investidores que estão começando podem acelerar os ganhos com ajuda de consultores. Manter a calma nos momentos de baixa evita perdas maiores

Giuliano Villa Nova

economia@ootimista.com.br

Dominar os próprios impulsos é uma das características dos bons investidores. Tomar decisões precipitadas nunca é a melhor alternativa, ainda mais quando o assunto é o mercado financeiro, que pode envolver o patrimônio construído durante muitos anos. Portanto, antes de investir o primeiro centavo, é preciso ter uma boa noção do mercado. “Quem escolhe se tornar um investidor deve saber que está se expondo a riscos. É preciso ter preparo psicológico. A pessoa não pode, no momento em que as ações ou aplicações estiverem sofrendo uma perda, decidir vender tudo, no desespero, e perder mais dinheiro ainda”, alerta Paulo Gomes, especialista em investimentos e planejamento patrimonial. “Por isso, o estudo e as análises são importantes, porque preparam o investidor, fazem com que ele entenda os riscos e projete o rumo das aplicações”, complementa.

Entendimento
Darla Lopes, diretora do Ibef-Ceará, aconselha que o futuro investidor tenha, entre as primeiras providências, a busca por uma orientação profissional para aplicar corretamente. “Como educadora financeira, observo que muitas pessoas sentem vergonha, medo e não buscam orientação, apesar de não entenderem o básico sobre finanças”, ressalta. “O papel da orientação profissional é subsidiar a pessoa leiga, para que ela compreenda os produtos, os processos, e tenha segurança para entrar nesse mercado, obtendo mais conforto e qualidade de vida”, explica a especialista.
De acordo com Paulo Gomes, o investidor pode começar sozinho, mas vai demorar muito mais tempo para alcançar resultados estáveis, “porque em determinado mês o resultado pode ser excelente e no mês seguinte, uma perda elevada. Esses resultados estáveis se conseguem com técnica, base e conhecimento. Daí a importância de um profissional para trazer orientação”.

Informação
Para se manter bem informado e fazer as melhores escolhas, a internet é uma ferramenta valiosa. “A mídia tradicional traz um norte do que está sendo tratado na política e na economia do país e do mundo. Mas o investidor deve ler sites, blogs e publicações especializadas. Posteriormente, buscar casas de análises, que trazem um conteúdo mais aprofundado. A informação deve estar o tempo todo na palma da mão”, orienta Paulo Gomes.

Orientações de especialistas

Conhecimento
Um dos primeiros passos é buscar conhecimento, isso traz segurança para a pessoa se sentir fortalecida para iniciar esse novo momento;

Informação
É possível acompanhar o mercado financeiro de forma técnica: existem cursos, sites e casas de análises, que fazem relatórios para quem está entrando no mercado;

Perfil
Outro ponto muito importante é que a pessoa conheça seu perfil de investidor – conservador ou arrojado, por exemplo. Nem todas as pessoas têm o apetite ao risco que a renda variável traz;
Orientação
Contar com uma orientação profissional é fundamental, para subsidiar a pessoa leiga em relação a finanças, para que ela consiga compreender os produtos, os processos e ter segurança para entrar no mercado;

Diversificação
. É recomendável que o investidor entre no mercado de forma diversidicada, nunca apostando todas as fichas em uma só aplicação;

Humildade
Por mais que o investidor conheça, deve ter humildade para sempre se manter informado sobre os movimentos do mercado para poder tomar as melhores decisões.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS