Economia

Chatbot automatiza atendimentos e aprimora processos de empresas

Tecnologia, que também é desenvolvida por especialistas no Ceará, se expande por diversos segmentos e também traz vantagens para clientes

Giuliano Villa Nova

economia@ootimista.com.br

Quando o assunto é inteligência artificial, ainda existem pessoas que pensam se tratar de robôs desenvolvidos para tomar o lugar dos seres humanos e dominar o planeta. Muito longe das histórias de ficção científica, esse tipo de tecnologia, também conhecida por AI, está mais presente no dia a dia do que se pensa. E uma das ferramentas de que ela se utiliza é o chatbot, que nada mais é do que um programa de computador que simula um diálogo humano. Graças ao chatbot (da junção do inglês “chat”, conversa, e “bot”, de robô), é possível realizar atividades automáticas e repetitivas, especialmente ligadas ao atendimento, tornando mais eficientes os processos e resultados das empresas.

“Hoje, os aplicativos de mensagens são a principal forma de comunicação para as pessoas. De acordo com o Facebook, 1,5 bilhão de pessoas no mundo utiliza essa ferramenta para se comunicar com amigos e familiares. Por ser um meio bastante imediatista, ele acaba reforçando esse hábito o comportamento do cliente – principalmente no relacionamento com as empresas, quando ele quer ser prontamente atendido. Aí entra o chatbot”, comenta Thiago Amarante, CEO da Chatbot Maker, empresa especializada nessa solução tecnológica.

Mercado

Não por acaso, o mercado chatbot deve crescer de US$ 703,3 milhões em 2016 para US$ 3,1 bilhões em 2021, de acordo com pesquisa da MarketsandMarkets, empresa especializada em pesquisas de mercado. E a qualidade do atendimento oferecido ao cliente pode fazer a diferença para quem pretende se sobressair.

“As empresas não podem ficar de fora de onde o público delas está, e hoje as pessoas estão dentro dos aplicativos de mensagem. Mas é muito difícil dar conta de atender dezenas ou centenas de pessoas todos os dias com excelência e custos baixos. O chatbot é a tecnologia que permite automatizar parte dessas interações, melhorando a percepção que o cliente tem da empresa”, observa Marlos Távora, Diretor de Operações da Chatbot Maker.

Ferramenta

A startup cearense Conta Médica, que oferece soluções inteligentes de contabilidade digital e controle financeiro para médicos, adotou o chatbot em seus processos de interação com o público. “Nós nos preocupamos com a jornada dos nossos clientes. Deste modo, depois de um bom tempo entendo as principais demandas, a periodicidade que elas ocorrem e a melhor forma de comunicar, na linguagem dos nossos clientes, estamos mapeando e implantando esta nova forma de engajá-los em nossa nova plataforma”, descreve Luiz Eduardo Eugênio Lopes, Diretor de Produtos e Inovação da Conta Médica.

De acordo com o gestor da empresa, os resultados da utilização da ferramenta são bem vantajosos. “Temos a extração de dados estatísticos expressivos de demanda x soluções, permitindo a melhoria contínua de nosso atendimento final, sempre em total atenção ao cliente e a sua jornada. Com isso, vamos melhorar e automatizar cada vez mais essas demandas”, projeta.

Eficiência

Outro aspecto relevante da adoção dos chatbots pelas empresas poderá ser sentido no orçamento. Levantamentos de mercado apontam que a utilização cada vez maior do chatbot poderá fazer as empresas economizarem, até 2022, mais de US$ 8 bilhões por ano. Essa redução de gastos será possível graças ao potencial de inovação proporcionado pela ferramenta. “O chatbot ajuda a empresa a melhorar a sua percepção de marca junto aos consumidores”, ressalta Marlos Távora.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS