Jornal Impresso

Bolsonaro almoça com evangélicos para apaziguar ânimos sobre veto à anulação de dívidas de igrejas

Depois de vetar dispositivo que anulava dívidas de igrejas com a Receita Federal, em renúncia de quase R$ 1 bilhão, o presidente Jair Bolsonaro reuniu líderes e parlamentares evangélicos em almoço no Palácio do Planalto nesta quarta-feira (16). A intenção foi apaziguar os ânimos e não perder o apoio da bancada da Bíblia, que tem 195 dos 513 deputados e 8 dos 81 senadores.

Além de congressistas e ministros, participaram do encontro o bispo JB Carvalho, da Comunidade das Nações, o apóstolo Estevam Hernandes e a bispa Sônia Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo.

Segundo deputados que foram ao evento, o almoço não era exclusivo para integrantes da bancada evangélica, mas um dos encontros que o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) tem promovido frequentemente no Planalto, a pedido de Bolsonaro, para aproximá-lo da base aliada. “Não tinha uma pauta, não tinha uma agenda”, disse o deputado João Campos (Republicanos-GO) ao deixar o almoço.

Conforme o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), a única fala de Bolsonaro sobre o assunto foi logo após a oração feita pelo bispo JB Carvalho, que precedeu o almoço. O deputado afirma que Bolsonaro apenas reiterou a nota que divulgou na noite de domingo, alegando que, tecnicamente, não podia sancionar a emenda que atendia ao pleito dos evangélicos, mas que defende a derrubada do veto. “Por ele (Bolsonaro), sancionaria, mas teve a recomendação técnica para vetar parcialmente”, disse o deputado. (Folhapress)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS