Jornal Impresso

A retomada da economia

O Brasil ainda não havia se recuperado da recente recessão econômica quando foi surpreendido, assim como os demais países do mundo, por um vírus de fácil e rápida propagação que atingiu a nossa já fragilizada economia. Após meses de quarentena, cidades fechadas, baixas nos estoques dos setores e elevação de preços dos produtos, eis que é possível avistar uma luz no fim do túnel.

Nas últimas semanas, indicadores têm mostrado o início de uma retomada da economia brasileira. Economistas do mercado financeiro melhoraram sua estimativa de queda do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, que passou de 5,31% para 5,11%, conforme publicação do relatório Focus, divulgado pelo Banco Central.

A recomposição de renda trazida pelo auxílio emergencial aos trabalhadores informais segurou a economia brasileira durante a fase mais aguda da crise e tem ajudado a manter o consumo, melhorando as projeções da economia. O processo de retomada das atividades econômicas também culminou na melhora de alguns indicadores como indústria, comércio e serviços e ajudou a arrefecer o pessimismo. Com isso, a visão de que a fase mais aguda da crise ficou para trás continua forte.

Diante desse cenário, tudo indica que se não houver uma segunda onda de infecções deverão ocorrer surpresas positivas para o crescimento até o final de 2020. É preciso alertar quea recuperação da economia brasileira não poderá ser feita apenas com a participação do Estado, por meio de aumento dos investimentos públicos. Essa retomada vai necessitar da participação do setor privado nacional e de investidores externos.

É fato que o caminho da retomada da economia após a pandemia da covid-19 será árduo. A energia de todos deve se concentrar não só na recuperação da saúde das empresas, mas também na urgente construção de um ambiente mais propício ao aumento da produção, aos investimentos e à criação de empregos.

Apesar de todas as adversidades, é importante que não se perca a esperança. Tomando as medidas corretas, com urgência e perseverança, é plenamente possível retomarmos a trilha do desenvolvimento econômico e social. Estamos trabalhando muito para fazer a “roda” da economia girar e, dessa forma, seguir contribuindo para a retomada da economia no País.

Augusto Fernandes é CEO da JM Aduaneira

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS