Economia

Startup projeta crescimento de 30% em meio à crise econômica

Com trabalho de gerenciamento automatizado de buscas na internet, Hublocal tem maior procura de clientes que querem aparecer digitalmente em contexto de isolamento social

Heloísa Vasconcelos

heloisavasconcelos@ootimista.com.br

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a solução para empresas que querem continuar faturando é conseguir fazer negócio mesmo de portas fechadas, digitalmente. Nesse contexto, a Hublocal, startup de gerenciamento automatizado de buscas na internet, vai na contramão do mercado em recessão e projeta crescimento de cerca de 30%. A empresa conseguiu 100 novos assinantes em um mês, que querem ter seu conteúdo visto nas ferramentas de busca.

O CEO da Hublocal, Felipe Caezar, explica que plataforma gerencia empresas nos principais mapas e listas da internet, com objetivo que seus clientes possam aparecer quando o consumidor estiver pesquisando sobre o produto ou serviço. Com pouco mais de um ano de existência, a startup tem crescido em torno de 30% ao mês e teve faturamento triplicado entre abril de 2019 e abril de 2020. A expectativa é que mesmo durante a crise crescimento siga. Atualmente, cartela de clientes conta com cerca de 400 assinantes.

“Nossa empresa é um bolsão para empresas nesse momento porque nós aumentamos a presença delas na internet”, destaca. Empresa espera contratar mais 10 pessoas durante o período de quarentena, chegando a dobrar o quadro até então ainda reduzido. Conforme Felipe, alguns de seus clientes também tem conseguido crescer, mesmo em meio à crise, principalmente de setores fundamentais, como saúde e alimentação. “Tem outros segmentos que não estão tão bem devido à retração do consumo. Não tem o mesmo faturamento, mas continuam se mantendo vivos, que é o grande objetivo”, complementa.

Antes do início da pandemia no Ceará as Farmácias Pague Menos iniciou um projeto piloto com a Hublocal, com a aplicação dos serviços durante um mês em 27 lojas. “O resultado obtido foi uma frequência maior de exposição da Pague Menos, para essas lojas submetidas ao piloto temos uma integralidade das informações corretas por isso uma consulta maior das lojas”, analisa o gerente de e-commerce das Farmácias Pague Menos, Eurico Antunes. Ao todo, 220 mil novas ligações a procura dos serviços foram registradas durante o período.

Segundo Eurico, parceria contratual deve ser firmada em breve. “No momento em que vivemos de isolamento social em que as pessoas precisam de serviços de entrega a domicílio, termos o suporte da Hublocal para que estejamos com nossas informações bem administradas e presentes nos resultados das ferramentas de busca potencializa a finalidade da Pague Menos de estar disponível e atender seus clientes”, diz.

Mesmo sem ser uma empresa de bens essenciais, a Newland tem conseguido faturamento durante o período de crise graças ao meio digital. A gerente de marketing do Grupo Newland, Tassiana Ribeiro, conta que contrato com a Hublocal se deu antes mesmo do estabelecimento da startup com esse nome, há 5 anos. “Eu tenho clientes orgânicos que vêm no site ou ligam, isso nos ajuda hoje a ter um número muito alto de ligações”, reconhece.

Durante a pandemia, lojas tem fechado compras via whatsapp e realizado entregas. Grande parte dos clientes é direcionado aos vendedores por meio do telefone, que aparece em destaque em ferramentas de busca na internet. “Óbvio que não no volume que era, mas continua tendo venda”, afirma Tassiana.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS