Economia

São Gonçalo e Caucaia são os destaques em ganhos socioeconômicos do Ceará

(Foto: Divulgação)

O estudo considera o crescimento entre 2002 e 2019

Redação O Otimista
redacao@ootimista.com.br

Em 2019, o PIB de São Gonçalo cresceu para R$ 3,75 bilhões, aumentando sua participação no PIB estadual para 2,30% e no PIB da RMF para 3,46%. Em 2002, o valor do Produto Interno Bruto (PIB) de São Gonçalo do Amarante era de R$ 75,46 milhões, o que representava uma participação de 0,26% no PIB cearense e de 0,41% no da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Com esse avanço, o município registrou o maior ganho de participação municipal: de 2,04 pontos percentuais (p.p) no período, após sua participação crescer 8,75 vezes na comparação dos dois anos. Além disso, São Gonçalo também registrou o segundo maior ganho no PIB da RMF, ou seja, de 3,23 p.p. no período, após sua participação crescer 8,93 vezes na comparação dos dois anos.

Caucaia também foi outro destaque. Em 2002, o valor do seu PIB era de R$ 836,9 milhões, obtendo uma participação no PIB cearense de 2,91% e da RMF de 4,52%, mas, em 2019, o PIB do município atingiu R$ 6,92 bilhões, ou seja, aumentando sua participação no PIB estadual para 4,23% e no PIB da RMF para 6,70%. Tal resultado levou Caucaia a registrar o segundo maior ganho de participação no PIB estadual: de 1,32 p.p. no período, após crescimento de 1,45 vezes, na comparação dos dois anos. Caucaia também apresentou o segundo maior ganho de participação no PIB da RMF: de 2,18 p.p. no período, após sua participação aumentar 1,48 vezes na comparação dos dois anos.

Com as mudanças ocorridas entre 2002 e 2019, as cinco principais economias pertencentes a RMF passaram a ser (em 2019): Fortaleza (65,26%); Maracanaú (9,44%); Caucaia (6,70%); São Gonçalo do Amarante (3,64%); e Eusébio (3,10%). A participação conjunta desses cinco municípios era de 88,13% da referida região. As três primeiras posições se mantiveram ao observado em 2002. O município do Eusébio caiu da quarta para a quinta posição. O grande destaque ficou com o município de São Gonçalo do Amarante que figurava na décima terceira colocação e saltou para a quarta colocação em 2019.

Dentre aqueles municípios, os crescimentos mais expressivos que se traduziram em forte ganho de participação foram observados em São Gonçalo do Amarante e Caucaia. Para se ter uma ideia mais clara deste fenômeno de crescimento, o PIB de Fortaleza, em 2002, era 177,7 vezes maior que o PIB de São Gonçalo do Amarante e Caucaia 11,1 vezes maior. Em 2019, o PIB de Fortaleza passou a ser apenas 17,9 vezes maior que o PIB de São Gonçalo do Amarante e Caucaia apenas 1,84 vezes maior. As constatações – e muitas outras – estão no Ipece/Informe (nº 204 – janeiro/2022) – Impactos socioeconômicos do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), que acaba de ser lançado pela Diretoria de Estudos Econômicos (Diec) do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS