Economia

Venda de imóveis de luxo ganha força no Ceará com novos hábitos de consumo

Segundo pesquisa da Lopes Immobilis, de janeiro a novembro deste ano, foram comercializados 74 imóveis de altíssimo padrão em Fortaleza, movimentando R$ 150 milhões. Considerando unidades fora da Capital, valor sobe para R$ 1 bilhão

Allure Meireles, da J. Simões, é um dos mais novos empreendimentos de luxo de Fortaleza (Foto: Divulgação)

Crisley Cavalcante
economia@ootimista.com.br

Quando custa o conforto e bem-estar? Ao longo da pandemia de covi-19, enquanto diversos segmentos foram impactados pela crise econômica, o mercado de imóveis de luxo cresceu em diferentes estados brasileiros, como o Ceará. Com as vendas aquecidas e expectativa de outros lançamentos nos próximos meses, construtoras que apostam nesse tipo de empreendimento esperam crescer ainda mais em 2022.

Segundo pesquisa de inteligência da Lopes Immobilis, de janeiro a novembro deste ano, foram vendidas 74 imóveis de altíssimo padrão no Ceará, movimentando em torno de R$ 150 milhões. O número representa 39% do estoque de 190 unidades, uma média de 3,9% ao mês. Atualmente, o mercado da Região Metropolitana de Fortaleza possui 116 novos imóveis de luxo, devendo terminar o ano com mais 16 unidades vendidas.

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), Patriolino Dias, a pandemia, de certa forma, impulsionou esse segmento. “Esses imóveis de luxo, compreendendo unidades de condomínio fechado e acima de 250 metros quadrados, assim como os de segunda moradia, conseguiram ter velocidade de venda muito rápida. Se levarmos em conta os imóveis fora da Região Metropolitana, em locais como Porto das Dunas, Flecheiras e Fortim, o valor de venda sobre para cerca de R$ 1 bilhão. Havia uma demanda reprimida que foi impulsionada pela pandemia”, afirma. Conforme ele, com o home office, os consumidores viram a necessidade de investir em imóveis mais confortáveis.

Ricardo Bezerra, diretor-executivo e sócio da Lopes Immobilis, reforça que o mercado imobiliário de luxo, principalmente em razão da segunda moradia, tende a ficar mais forte no Ceará, assim como no Brasil. “Nos últimos anos, tivemos uma pujança desse segmento, época em que todos os fatores macroeconômicos contribuíram para esse aquecimento e para o boom imobiliário. Com a pandemia, as construtoras pararam de vender estoque e passaram a analisar mais o mercado”, diz.

Geração de valor

Na visão de Daniel Otoch, da J. Simões Engenharia, hoje, imóveis de luxo tem muito mais a ver com localização e com o que o empreendimento pode oferecer do que sobre tamanho. “A cozinha, antes um espaço que nem sempre era tão visitado, precisa ser mais aproveitado pelos novos empreendimentos, pois virou área social para receber pessoas, cozinhar, unir famílias e amigos. Estamos desenvolvendo plantas com cozinha no centro da sala, no espaço que antes era da sala de TV, e isso tem funcionado bastante. São os novos comportamentos”, destaca.

Um desses empreendimentos da construtora é o Allure Meireles. São 46 apartamentos, dois por andar, duas vagas privativas e 24 pavimentos. Conta com áreas comuns mobiliadas e decoradas, fachada em porcelanato com redução da temperatura interna e da reverberação acústica, automação smarthome com interruptores Wi-Fi integráveis a Alexa e fechaduras eletrônicas em todas unidades.

O prédio também possui mini usina solar para geração de energia elétrica das áreas comuns, torneiras com temporizador nas áreas comuns, iluminação de LED na piscina e focado em áreas com acessibilidade. Localizado na rua Tenente Benévolo, 1251, o Allure Meireles conta ainda com piscina com borda infinita, lounge e deck gourmet e espaço para pets.

A área de lazer com lounge e deck gourmet integrado à piscina também tem sido um diferencial para atrair clientes. “Trouxemos esse conceito de casa para dentro do apartamento no Meireles. Luxo não é mais metragem. Desenvolvemos tecnologia, entregamos com automação residencial, de modo que o cliente consiga controlar a casa remotamente”, aponta.

Sustentabilidade

Mário Zacchigna, gerente comercial da Mota Machado, explica que um dos diferenciais dos empreendimentos de luxo é o maior investimento em sustentabilidade. “Os clientes que procuram por alto padrão também estão preocupados com o meio ambiente e o social. Não querem mais apenas morar em um prédio chique, e isso está mais evidente a cada dia”, observa.

“Os clientes buscam tecnologia e facilidade, sim. Mas, no contexto geral, eles também estão buscando o que o entorno do empreendimento pode oferecer à sociedade. O novo alto padrão e luxo estão diretamente ligados à qualidade de vida e à sustentabilidade”, acrescenta.

Tendências sustentáveis no mercado imobiliário de alto padrão

1. Espaço específico para receber delivery: muitos condomínios não têm espaço para receber delivery. A tendência, agora, é sala específica para receber entregadores dentro da recepção.

2. Coworking: alguns condomínios estão investindo em áreas de lazer compartilhadas com coworking. Tudo para facilitar o home office de forma mais confortável, além de permitir reuniões e conferências.

3. Cozinha maior: a cozinha ganhou o espaço que antes era ocupado pela sala de televisão, para funcionar como área social para receber as pessoas, cozinhar e unir amigos e familiares ao redor do alimento.

4. Reutilização da água: reutilização da água de todos os aparelhos de ar-condicionado para irrigação das áreas verdes do condomínio.

5. Painéis fotovoltaicos: geração de energia própria para as áreas comum.

6. Sensores de presença: disponíveis nas áreas comuns e nas garagens, ajudam a consumir menos energia.

7. Tomada para carro elétrico: tendência está alinhada aos novos hábitos de consumo.

8. Lixeira com coleta seletiva: facilita reciclagem.

9. Iluminação 100% em LED: reduz o consumo de energia elétrica.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS