Economia

Mercado de franquias fatura R$ 939 milhões e cresce 6,3% no Ceará no terceiro trimestre deste ano

O segmento de saúde, beleza e bem-estar foi o que mais cresceu no Estado durante o terceiro trimestre deste ano (Foto: Divulgação)

Crisley Cavalcante
economia@ootimista.com.br

A pandemia de covid-19 impactou negativamente muitos segmentos econômicos, mas nem todos vivenciaram as incertezas impostas pela crise sanitária. Na contramão, o mercado de franquias vem crescendo no Brasil. Só no Ceará, no terceiro trimestre deste ano, o segmento registrou avanço de 6,3%, faturando R$ 939,20 milhões, ante R$ 883,66 milhões observados em igual período de 2020. Ao todo, são 3.487 negócios do tipo, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Entre os segmentos que mais cresceram no Estado, de julho a setembro, estão saúde, beleza e bem-estar com aumento de 30,8% e faturamento de R$ 288 milhões, seguido de alimentação/food service (12,8% e R$ 153 milhões) e serviços e outros negócios (11,7% e R$ 109 milhões). Hoje, as áreas que concentram o maior número de franquias no Ceará são: saúde, beleza e bem-estar, com 739 unidades, serviços e outros negócios(653) e alimentação/food service (509).

Para o economista Davi Azim, a segurança que o franqueado tem para gerir o negócio é um dos fatores que contribuem para esse crescimento. “Ase franquias trazem para o investidor mais um aspecto de confiança e estabilidade. Esse segmento tem crescido porque a retomada gradual da economia tem patrocinado isso. Além disso, ser franqueado traz apoio de gestão para quem quer fazer investimento, o que confere mais tranquilidade para quem vai aplicar o recurso ou empreender”, analisa.

Brasil e Nordeste

No Brasil, o mercado de franquias manteve no terceiro trimestre deste ano a trajetória de recuperação registrada nos trimestres anteriores. De julho a setembro, foram R$ 47,38 bilhões faturados, aumento de 7,8% na comparação com o valor registrado em igual período de 2020 (R$ 43,95 bilhões). No Nordeste, o cenário é semelhante e aponta um crescimento de 13,4% no faturamento geral do setor, com mais de R$ 7 bilhões de receita.

“A franquia é uma forma de dar acesso ao empreendedorismo de forma rápida e segura. Muitas vezes, as pessoas querem abrir o próprio negócio, mas, seja por não estarem engajadas no mercado ou terem dificuldade de colocação, não veem essa possibilidade. E a franquia as confere essa chance, de investir no empreendedorismo e, assim, faturar. Por isso, esse é um mercado que tem sido muito procurado nos últimos. Além de segurança para quem quer empreender, também dá acesso à velocidade na colocação do negócio”, diz Cândido Espinheira, diretor regional ABF Nordeste.

A expectativa para 2022, segundo ele, é de mais crescimento. “Os negócios têm tido dificuldades. Muitos fecharam, infelizmente, por causa da pandemia. Porém, o merca de franquias continuou concedendo, sendo uma importante alternativa para ajudar na reestruturação da economia brasileira como um todo. Especificamente sobre o Ceará, entendemos que o cearense tem veia empreendedora e comercial muito forte, aproveitando o momento e as marcas que trabalham com franquias”, reforça.

Participação no faturamento por segmento (%)

Saúde, beleza e bem-estar (30,8)
Alimentação/Food service (16,4)
Serviços e outros negócios (11,7)
Moda (11,5)
Serviços educacionais (6,9)
Casa e construção (6,3)
Comunicação, informática e eletrônicos (5,2)
Serviços automotivos (4)
Hotelaria e turismo (3,1)
Alimentação/comércio e distribuição (3)
Entretenimento e lazer (0,9)
Limpeza e conservação (0,4)

Participação no total de unidades por segmento (%)

Saúde, beleza e bem-estar (21,2)
Serviços e outros negócios (18,7)
Alimentação/Food service (14,6)
Moda (11,7)
Serviços educacionais (7,5)
Casa e construção (7)
Alimentação/comércio e distribuição (7,2)
Serviços automotivos (4,4)
Comunicação, informática e eletrônicos (3)
Hotelaria e turismo (1,9)
Limpeza e conservação (1,6)
Entretenimento e lazer (1,2)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS