Economia

Ligação ferroviária do Pecém com Suape não vai mais acontecer, diz ministro da Infraestrutura

Tarcísio Gomes de Freitas apontou baixa demanda e problemas no projeto. Ferrovia Transnordestina já sofreu inúmeros atrasos. Para a conclusão, antes prevista para 2010, seriam necessários mais R$ 7 bilhões

Nas obras da ferrovia, será mantido apenas o trecho que liga Elizeu Martins (PI) até o Pecém (Foto: Divulgação).

A ligação da Ferrovia Transnordestina entre o Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, e o Porto de Suape (Pernambuco), não vai mais acontecer. O motivo é a inviabilidade econômica da conexão. A declaração foi feita pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que apontou problemas no projeto e baixa demanda como motivos para a desistência da construção.

“Foi um imbróglio que foi herdado, mais um problema de modelagem. Não tem demanda para o ramal de Pernambuco e para o ramal do Ceará”, declarou o ministro, em uma transmissão do jornal Valor Econômico.

De acordo com o ministro, será mantido apenas o trecho que liga o interior do Piauí, na cidade de Elizeu Martins, até o Pecém.

Ao todo, mais de R$ 7 bilhões foram empregados na obra, cuja conclusão estava prevista para 2010. Estima-se que mais R$ 7 bilhões seriam necessários para terminar a Ferrovia Transnordestina.

Denominado de Nova Transnordestina, o projeto foi concebido ainda no governo do ex-presidente Lula. As obras da ferrovia sofreram inúmeras interrupções e até hoje não há prazo para o início das operações.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS