Economia

Jorge Pinheiro: 2ª onda será superada com maior assertividade em tratamentos

O presidente do Sistema Hapvida afirma que a intensidade da segunda onda “foi bastante inferior se comparada com o pico”

Coluna Adriano Nogueira
adriano@ootimista.com.br

Jorge Pinheiro afirma que a segunda onda tem sido muito menos danosa do que a primeira. Foto: Tapis Rouge

O Brasil atravessa uma segunda onda de contaminações pelo novo coronavírus, porém a experiência com a primeira onda permitiu que o índice de acerto nos tratamentos e a necessidade de hospitalização seja bem menor do que na primeira. A avaliação é do médico Jorge Pinheiro, presidente do Sistema Hapvida, em entrevista que irá ao ar hoje, às 11h, na TV Otimista. “Estamos hoje vivendo uma segunda onda da doença, é verdade que muito menos intensa do que a primeira. Esta, assim como a primeira, vem atingindo cidades em momentos e intensidade diferentes, algumas dessas cidades atingidas pela segunda onda já deixaram (a nova leva de contaminações), mas estamos vivendo agora uma nova fase, com procedimentos eletivos em carga muito similiar a níveis históricos, convivendo com a covid, de maneira endêmica”, avalia.

No entanto, em todas as cidades onde o Sistema Hapvida percebeu essa segunda onda, “a intensidade foi bastante inferior se comparada com o pico da doença, que no Brasil foi no dia 12 de maio. Apenas uma cidade, Joinvile, que a quantidade de atendimentos de urgência da segunda onda foi similar à primeira. Todas as outras foram bem inferiores”. Pinheiro acrescena que Fortaleza “está deixando a segunda onda”.

Expertise adquirida
Jorge Pinheiro comemora também a expertise adquirida graças aos comitês criados para acompanhar a covid-19 em todo o Brasil e trocar experiências com especialistas daqui e do exterior. “Somos sim uma entidade muito privilegiada em entender o que está acontecendo no Brasil por sermos a única empresa a ter rede própria, incluindo hospitais, nas cinco regiões”, ressalta. Além disso, o número de atendimentos por telemedicina já ultrapassou 35 mil em todo o País.

Vitória dos jornais

Cid Gomes sugeriu publicação de editais em jornais impressos. Foto: Jane de Sousa/Agência Senado

A atualização da Lei das Licitações, aprovada ontem no Senado, mantém publicação de editais em jornais de grande circulação, sugerida pelo senador Cid Gomes (PDT). O item havia sido retirado do projeto de lei nº 4.253/20 na Câmara dos Deputados. Cid Gomes apresentou requerimento ao relator da matéria, Antônio Anastasia (PSD), argumentando que a manutenção da publicação em jornais impressos de grande circulação favorece a transparência e atende melhor ao princípio constitucional da publicidade. O pedido foi acatado pelo relator e o projeto aprovado pelo plenário, em votação simbólica. O novo texto também substitui a Lei do Pregão e o Regime Diferenciado de Contratações.

Outros pontos
O projeto, que segue para sanção presidencial, tipifica nove crimes relacionados à contratação pública, impede a compra de artigos de luxo, acaba com a modalidade de convite e cria uma nova: diálogo competitivo, que consiste em conversas com empresas pré-selecionadas para que elas compreendam melhor as necessidades do poder público.

90% de Fortaleza
A MOB Telecom deve fechar o ano cobrindo cerca de 90% do território de Fortaleza com internet banda larga. São mais de 100 bairros, ante 10 cobertos em 2019. Com a expansão focada no varejo (internet residencial),
a empresa passou dos mil empregos diretos gerados e está atuando com banda larga em 30 municípios do Ceará.

Marcos Soares comemora Prêmio Quatro Elementos

Marcos Soares comemora Prêmio Quatro Elementos. Foto: Divulgação

Marcos Soares, presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), recebeu o troféu Quatro Elementos, do Sindiquímica, entidade da qual foi presidente por oito anos, período no qual concebeu e viabilizou o Polo Químico de Guaiúba, que receberá a primeira empresa em janeiro. “Receber esse prêmio me deixa duplamente feliz porque ele foi criado para reconhecer quem contribui para o setor e agora também estou sendo agraciado”, avalia.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS