Economia

Credores da Latam fazem proposta de US$ 5 bilhões para financiar dívida da empresa

O grupo aéreo chileno Latam recebeu uma proposta de financiamento da sua dívida, dentro do processo de recuperação judicial em que está inserido, informou a empresa na noite de segunda-feira (11). A proposta é da ordem de US$ 5 bilhões (R$ 27,7 bilhões), de acordo com pessoas ouvidas pela reportagem, e está relacionada a uma redução significativa da participação dos atuais acionistas no capital da companhia.

A aérea, porém, continua em contato com outros interessados em financiar sua dívida, que soma quase US$ 18 bilhões (cerca de R$ 100 bilhões). A Latam aderiu à lei de falência dos Estados Unidos (Chapter 11, uma espécie de recuperação judicial) em maio de 2020, seguida dois meses depois pela sua controlada, a Latam Brasil.

A oferta partiu de um grupo de credores não ligados ao comitê oficial, representados pela Moelis & Company e pela White & Case LLP. A divulgação da proposta é obrigatória após o fim do período de confidencialidade. “O grupo manifestou certas preocupações que refletem que o foco da Latam é garantir um montante adequado de endividamento e liquidez ao final de seu processo de reorganização e durante todo o período de seu plano de negócios, bem como o cumprimento de todas as leis aplicáveis na implementação do plano”, afirmou a Latam em nota.

A empresa afirma ter recebido outras propostas e que continua a negociar com todas as partes interessadas para chegar a um acordo sobre os termos de um plano de reorganização e financiamento para deixar o Chapter 11. A Latam prevê convocar os acionistas para uma assembleia geral extraordinária, de acordo com o andamento das negociações.

O grupo tem até esta sexta-feira (15) para expor seu plano de recuperação judicial com exclusividade -o que significa apresentar um plano aos acionistas e credores sem que outros competidores apresentem ao mesmo tempo propostas de aquisição, por exemplo. Neste prazo, a Justiça americana teria até 15 de dezembro se pronunciar sobre o plano. “Se necessário, a Latam solicitará uma nova prorrogação dos referidos períodos de exclusividade, que serão devidamente requisitados ao Tribunal e reportadas à entidade reguladora e ao mercado”, informou a empresa, em nota. O prazo final para a companhia apresentar um plano com exclusividade é 23 de novembro.

A Azul pretende apresentar uma proposta para ficar com a Latam Brasil. O dinheiro, porém, não deve vir do caixa da companhia: a aérea está costurando um acordo com fundos de investimento para levar a rival, segundo pessoas ouvidas pela reportagem. “Nós temos recebido uma série de propostas muito interessantes, a maioria delas dos próprios acionistas e credores do grupo, que superam a injeção de US$ 5 bilhões na companhia, o que a deixará muito mais competitiva”, afirmou o presidente do grupo Latam, Roberto Alvo, no início de setembro.

A Latam informou ainda que vai atingir este mês 82% da oferta doméstica de assentos (ASK) em comparação a outubro de 2019, no período anterior à pandemia. Ao todo, serão 478 voos nacionais diários no Brasil. Em outubro, houve a adição de 42 voos domésticos por semana na comparação a setembro. A empresa vai abrir até dezembro mais quatro novos destinos no país: Juazeiro do Norte (CE), Jericoacoara (CE), Petrolina (PE) e Vitória da Conquista (BA). Com isso, serão 49 cidades atendidas no Brasil, cinco a mais do que a empresa operava antes da pandemia. Já em relação aos voos internacionais, a empresa retomou 25% da sua oferta de assentos em relação a outubro de 2019.
A partir de dezembro, a empresa vai retomar a rota São Paulo/Guarulhos-Londres com quatro voos semanais, como consequência da recente abertura do Reino Unido à entrada de brasileiros. A rota havia deixado de ser operada em janeiro, após a restrição de voos para o Brasil. A Latam espera adicionar mais duas frequências semanais até janeiro de 2022.

Segundo a aérea, a rota para Londres será o 15º destino internacional retomado pela companhia desde o início da pandemia, do total de 26 que operava em 2019. Outros destinos internacionais já reabertos a brasileiros totalmente vacinados contra a Covid-19 são Barcelona (Espanha), Paris (França), Frankfurt (Alemanha), Montevidéu (Uruguai), Cidade do México e Cancún (México).

Os voos para os Estados Unidos devem aumentar a partir do mês que vem, segundo a aérea, quando será reaberta a fronteira para brasileiros vacinados. A empresa já opera três voos semanais na rota Guarulhos-Nova York e outros três voos semanais na rota Guarulhos-Miami. Somadas todas as suas filiais, o grupo pretende retomar até 56% da sua oferta total de assentos este mês, em relação a dois anos atrás. (Daniele Madureira/Folhapress)

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS