Economia

Ceará é destaque em ranking de melhores cidades brasileiras para fazer investimentos

Estudo “Melhores cidades para fazer negócios - Edição 2021”, da Urban Systems, traz oito municípios do Estado com boas condições para receber investimentos em áreas como serviços, indústria, educação, mercado imobiliário e agropecuária

Entre os setores com o maior número de cidades cearenses no ranking, estão indústria e serviços (Foto: Edimar Soares)

Crisley Cavalcante
economia@ootimista.com.br

Fortaleza figura na 14ª colocação entre as melhores cidades do Brasil, sendo a segunda do Nordeste, atrás apenas de Recife, para investir no setor de serviços. Além da capital cearense, na lista de 100 municípios, outros quatro estão entre os destaques do setor: Juazeiro do Norte (68ª), Crato (85ª) Sobral (97ª) e Itapipoca (100ª). Barueri (SP), São Paulo (SP) e Florianópolis (SC) ocupam as três primeiras colocações do ranking.

Os dados são do estudo “Melhores cidades para fazer negócios – Edição 2021”, da Urban Systems, empresa de inteligência de mercado. O levantamento contempla uma análise dividida em segmentos econômicos, entre eles educação, comércio, serviços, indústria, mercado imobiliário, construção civil e agropecuária. Ao todo, oito municípios do Ceará aparecem no relatório.

Neste ano, o estudo mostra também indicadores da conjuntura econômica e pandêmica atual, incluindo dados da vacinação nas cidades brasileiras, com a análise de todos os municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes, totalizando 326 cidades.

Secretário-executivo de Comércio, Serviços e Inovação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet), Júlio Cavalcante diz que o impacto do setor de serviços é forte no Estado, principalmente, por conta do turismo. “Uma das questões que tem gerado impacto é a vacinação. Fortaleza está muito bem classificada em termos de imunização, o que gera segurança para as pessoas visitarem a cidade, beneficiando toda a cadeia do turismo no Estado, um dos segmentos de serviço mais fortes que temos”, afirma, destacando ainda a importância da construção civil para a economia cearense.

Mercado imobiliário

No segmento de mercado imobiliário, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte estão nas três primeiras posições. Fortaleza ocupa a 24ª posição Fortaleza ocupa a 24ª posição no Brasil e segunda no Nordeste, também atrás de Recife. . Outra cidade cearense que figura na lista é Caucaia (56ª).

Quanto à educação, São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba lideram o ranking. A capital cearense, por sua vez, figura na 27ª posição, enquanto Maracanaú e Itapipoca aparecem na 66ª e 83ª, respectivamente.

No que diz respeito à indústria, o destaque é para São Bernardo do Campo (SP), seguida de Cubatão (SP) e Igarassu (PE). No Ceará, o destaque é Maracanaú, ocupando a 23ª colocação. Sobral (29ª) e Caucaia (47ª) também aparecem na lista.

Na agropecuária, a cidade de Petrolina (PE) é a primeira colocada, seguida de Patos de Minas (MG) e Barreiras (BA). No Ceará, apenas a cidade de Iguatu figura aparece nesse indicador, na 78ª colocação.

O economista e membro do Conselho Regional de Economia do Ceará (Corecon-CE), Wandemberg Almeida, avalia que a redução da burocracia para a abertura e formalização de empresas é um fator a ser considerado para o destaque de cidades cearenses no levantamento.

Empreendedorismo

“A redução da burocracia, principalmente em Fortaleza, faz com que o aumento no número de novas empresas seja significativo, pelo acolhimento ao empreendedorismo, que dá subsídios para ajudar as pessoas no primeiro negócio. Nesse contexto, o setor de serviços é um dos que mais gera emprego e renda na cidade”, observa.

Em relação ao setor do comércio, um dos pilares da economia cearense, os seguintes municípios ocupam as três primeiras posições do ranking da Urban Systems: São Paulo, Barueri (SP) e Florianópolis. Nesse quesito, nenhuma cidade do Estado aparece entre as 100.

“Com a redução dos números da covid-19 e o aumento da circulação das pessoas, a tendência é que esse segmento seja potencializado no Ceará. A retomada dos principais setores, a partir da reabertura das atividades, já está movimentando nossa economia, inclusive com mais contratações”, destaca Wandemberg Almeida.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS