Economia

Casa dos Ventos fecha parceria com mineradora Anglo American no complexo Rio dos Ventos

O complexo Rio dos Ventos já tem projetos para ser duplicado, chegando a 1GW de capacidade, e de hibridização, abrigando também produção de energia solar

A empresa de energias renováveis Casa dos Ventos, nascida no Ceará, formalizou parceria de 20 anos com a mineradora Anglo American, uma das maiores do mundo. Tendo a Casa dos Ventos como sócia, será a primeira unidade da mineradora a gerar energia, com 30% de toda a demanda da empresa no Brasil produzida nos parques eólicos de Rio do Vento, no Rio Grande do Norte, capaz de gerar 504 MW. De acordo com comunicado da Casa dos Ventos, trata-se do maior volume de compra de energia renovável entre um consumidor final e um gerador no Brasil: 95 MW médios. O prazo do contrato começa a vigorar em 2022. “Desenvolvemos um modelo novo, em que assumimos os riscos de construção e operação do projeto e, uma vez que ele comece a operar, o cliente pode exercer a opção de se tornar sócio da usina e se tornar autoprodutor”, afirma Lucas Araripe, diretor de Novos Negócios da Casa dos Ventos.

O complexo Rio do Vento recebeu investimento de R$ 2,4 bilhões, oriundos de oito Sociedades de Propósito Específico (SPE) – três deles com a Anglo American – produzindo energia limpa para empresas de portes e setores diferentes. A multinacional de tecnologia Tivit e a Vulcabrás Azaleia são outras duas grandes empresas que fecharam parceria com a Casa dos Ventos recentemente. “Rio do Vento é um grande condomínio onde diversas companhias se beneficiam das economias de escala do empreendimento, um privilégio que era restrito aos grandes autoprodutores e que ampliamos para demais empresas”, completa Araripe.

Rio do Vento vai começar a operar comercialmente no segundo semestre de 2021, mas já tem projetos de expansão confirmados. Quando concluídos, vão dobrar a capacidade do complexo, atingindo 1 GW. “Rio do Vento é um projeto singular. Os ventos que sopram na região são intensos e constantes, característica que nos permite trabalhar com contratos e tarifas muito mais competitivas”, explica o empresário. Araripe acrescenta que jáa existem estudos em curso para tornar o complexo híbrido, produzindo também energia por painéis solares fotovoltaicos. “Na segunda fase, vamos aproveitar toda a estrutura da primeira e ter um único cluster mais competitivo e com operação otimizada”, conclui.

Grupo Telles colecionando certificações
Vice-presidente de operações e diretora de três empresas do Grupo Telles (a Naturágua, de bebidas, e as de embalagens Santa Elisa e Yplastic), Aline Telles Chaves afirma que o grupo será “colecionador de ISO”. A empresária afirmou no webinar “Made in Nordeste: mercado e oportunidades você encontra aqui”, que as certificações de qualidade são a principal via de reconhecimento do mercado para a Naturágua. De acordo com ela, este ano serão renovadas as certificações ISO 17.025, apenas para laboratórios (será a primeira empresa de bebidas do Brasil com a certificação) e até o final do ano que vem, renovar a ISO 14.000. “Eu brinco que de qualidade todo mundo fala, então a gente precisa provar, e a linguagem que o mercado conhece e respeita é a certificação”.

Sebrae lançará programa Revita
O Sebrae vai lançar em julho o programa Revita – Revitalização dos Pequenos Negócios Cearenses. De acordo com o diretor técnico, Alci Porto, o Revita terá um eixo de educação empreendedora e oferecerá também um banco de dados, chamado Radar de Oportunidades, “que vai dizer para o empreendedor se aquilo que ele quer empreender, ou o talento que ele tem, está próprio para aquele espaço”. A plataforma dividirá territórios por cidades e bairros, com pesquisas online cruzadas com outras bases de dados, como IBGE e Receita Federal, para fazer “um georreferenciamento dos pequenos negócios”.

Na ONU
Por falar em pequenos negócios, o diretor de Administração e Finanças do Sebrae Nacional, Eduardo Diogo, foi convidado pela ONU para um painel virtual em alusão ao dia mundial das Micro, Pequenas e Médias Empresas, comemorado ontem (25), junto ao secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa.

Transformação social
O painel integrou a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento – UNCTAD, e reuniu especialistas de dezenas de países, sob mediação da chefe da Divisão de Investimentos e empresas da UNCTAD, Tatiana Krylova. De acordo com Eduardo Diogo, o debate abordou “o papel das micro, pequenas e médias empresas (MPME) como agentes de mudança e de transformação social”.

Caoa Chery entra na briga com sedãs japoneses
O recém-lançado Arrizo 6 quer tirar uma fatia dos sedãs japoneses que dominam a categoria de médios no Brasil: Toyota Corolla e Honda Civic. Projetado na China e na Europa, mas produzido no Brasil, na planta da Caoa Chery em Jacareí (SP), é equipado com motor 1.5 turbo, com 150 cv de potência e câmbio CVT de nove marchas. Para brigar com os sedãs japoneses, um bom pacote de equipamentos de série, porta-malas com 570L de capacidade e desconto de mais de R$ 10 mil para o lançamento.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS