Economia

Brasil precisa analisar custo-benefício de cada política pública, afirma Lauro Chaves

“O nosso nível de desigualdade, se socialmente é injusto, é terrível para as empresas”, por limitar o crescimento do mercado interno, afirma Lauro

Lauro Chaves é conselheiro federal de Economia, assessor da FIEC e professor da UECE. Foto: Divulgação

Pautada para ocorrer hoje no Senado Federal, a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2021 vai testar não apenas a força política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do ministro da Economia, Paulo Guedes, para aprovar uma meta de déficit primário de R$ 247,1 bilhões (quase o dobro da meta inicial da LDO 2020, que era de R$ 124,1 bilhões), mas também a capacidade do parlamento de priorizar o debate de políticas públicas. Na avaliação do professor da UECE, conselheiro federal de Economia e assessor da FIEC, Lauro Chaves Neto, professor da UECE e assessor econômico da FIEC, é preciso “medir o custo-benefício de cada política pública, e esse debate nunca é priorizado na LDO, no PPA (Plano Plurianual) ou no orçamento”.

Em entrevista à TV Otimista, Lauro disse ainda que as políticas de combate à desigualdade precisam ser mantidas para, inclusive, gerar mais renda a partir do aumento do mercado consumidor. “Reduzindo a desigualdade temos maior mercado externo e espaço de crescimento para as empresas. Nós não podemos admitir que em um país rico como o Brasil – rico, porém desigual – tenha miséria absoluta. O nosso nível de desigualdade, se socialmente é injusto, é terrível para as empresas”, avalia.

Ciclo interrompido
Lauro Chaves, que também é membro do Conselho Federal de Economia, lembra que em 2020, “o Brasil interrompeu um ciclo de tentativa de reequilibrar as contas públicas”, mas que o impacto da pandemia seria muito maior se o déficit não tivesse chegado na casa dos R$ 800 bilhões, dos quais R$ 320 bilhões são de auxílio emergencial. “Não tem esse dinheiro no orçamento nem nunca teria, mas tinha que ser gasto, se não nós teríamos um caos social durante a pandemia”.

Hugo Xerez assume Decon

Hugo Vasconcelos Xerez, novo titular do Decon. Foto: Divulgação

O promotor de justiça Hugo Vasconcelos Xerez, titular da 169ª Promotoria de Fortaleza, vai assumir a secretaria-executiva do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon). Doutorando em Direito Constitucional pela UFC, Xerez afirma que a sua gestão vai buscar fortalecer o diálogo e parceria com outros órgãos. “Nosso planejamento também tem se centrado na realização de todas as ações que se fizerem necessárias para consagrar os direitos dos consumidores diante do cenário de pandemia. Novas exigências surgiram para os órgãos de defesa do consumidor e estamos nos preparando para aprimorar nossos serviços”, adianta.

Por assinatura
A Diagonal Engenharia e a Housi (braço do Grupo Vitacon voltado para gestão imobiliária) vão apresentar para o mercado local o Beira Mar Powered By Housi, em evento virtual. Trata-se do primeiro empreendimento com sistema de moradia por assinatura de Fortaleza, localizado na Rua Ildefonso Albano, a poucas quadras do Aterro da Praia de Iracema.

Meireles
O bairro com o metro quadrado mais caro de Fortaleza é novamente o Meireles, com preço médio de R$ 7.280,00 em novembro, segundo o site especializado Imovelweb. A média geral da cidade está em R$ 4.891,00, valor 1,4% maior que o registrado em novemrbo do ano passado. Neste ano, o site aferiu alta acumulada de 1,1% no preço do metro quadrado em Fortaleza.

Água Innovation debate novas tecnologias

David Girão, presidente do Instituto Luiz Girão, ligado à Laticínios Betânia. Foto: Reprodução/YouTube

A técnica Compost Barn para alojamento de gado leiteiro será debatida hoje, às 17h, pelo presidente do Instituto Luiz Girão, David Girão, durante o Seminário Água Innovation, cuja programação é gratuita e online. “Na perspectiva do agronegócio, é de extrema importância trabalhar em alternativas e soluções tecnológicas para que os recursos hídricos possam ser bem utilizados, com equilíbrio, gerando benefícios para a população e para o mercado”, afirma David.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS