Economia

A infraestrutura que é desenhada para transformar o Ceará em hub logístico

Ceará desponta como um dos estados brasileiros mais atrativos no segmento de logística, devido principalmente ao crescimento do Complexo do Pecém, entre outras obras que ligarão rodovias e integrarão diferentes modais de transporte

Avanço na infraestrutura logística do Ceará vem atraindo novos investimentos (Foto: Divulgação)

Crisley Cavalcante
economia@ootimista.com.br

A pandemia de covid-19 impôs sérios desafios econômicos para o mundo, com o impacto agressivo em praticamente todos os setores. A área de infraestrutura e transportes, essencial para o desenvolvimento de qualquer país, também foi afetada pela crise sanitária. Agora, com processo gradual de retomada da economia nacional, o Ceará desponta como um dos estados brasileiros mais atrativos no segmento de logística, com a projeção de se tornar um hub, devido principalmente ao crescimento do Complexo do Pecém, entre outras obras que ligarão rodovias e integrarão diferentes modais, prometendo facilitar o transporte de mercadorias.

No caso do Pecém, o complexo abriga a Zona de Processamento de Exportação (ZPE), atualmente a única em operação no Brasil, que tem despertado o interesse de companhias multinacionais e outras indústrias brasileiras com foco na exportação. Em razão da localização privilegiada e da moderna infraestrutura portuária, a movimentação de cargas vem crescendo no terminal.

Neste mês, foi inaugurado o Setor 2 da ZPE Ceará. Com investimento de aproximadamente R$ 13 milhões nesta primeira etapa, aplicados na construção da infraestrutura de controle operacional, o equipamento conta com 1.911 hectares de área.

Também com foco no desenvolvimento, o Porto do Mucuripe, em Fortaleza, é outra fonte de competitividade do Estado. Para 2022, a projeção é que o terminal receba mais de R$ 6 milhões em pavimentação, câmeras, iluminação, estrutura de atracação, sinalização náutica e estudos de batimetria.

Outro equipamento do Ceará que segue sendo ampliado é o Aeroporto de Fortaleza. Com investimento de R$ 100 milhões em obras de expansão da pista de pouso e decolagem, está apto a receber voos intercontinentais. Com as obras, os aviões terão condições de decolar com mais peso, estimulando o desenvolvimento econômico do Estado, tanto por meio do transporte de cargas quanto passageiros.

A infraestrutura logística que se desenha nos últimos anos no Ceará, inclusive, vem chamando a atenção de grandes empresas, como a Amazon, que recentemente inaugurou um centro de distribuição em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. A infraestrutura logística atende à região Nordeste e dá suporte para entregas em outras localidades do País. Com o equipamento, a Amazon pretende fazer do Ceará o principal ponto de logística para distribuição de mercadorias no Norte e Nordeste.

Na avaliação do economista Alcântara Macedo, as perspectivas para a logística no Ceará são positivas. “O Ceará fez a lição de casa muito bem, principalmente com o Porto do Pecém. Estamos importando um modelo de logística da Holanda, que é o melhor do mundo. Mas podemos ter uma injeção de ritmo ainda maior, pois precisamos acompanhar a velocidade internacional. Para isso, precisamos desenvolver bem a logística local, que é promissora em todos os aspectos, mas é um desafio”, analisa.

Pendências

Enquanto algumas obras despontam no Estado, outras ainda aguardam desfecho. É o que caso da ampliação do Anel Viário de Fortaleza (BR-020), importante para o fortalecimento do corredor logístico na Região Metropolitana, uma vez que, em conjunto com a CE-010, a BR-222 e a CE-155, proporciona a ligação entre os portos do Pecém e do Mucuripe.

Em nota, a Superintendência de Obras Públicas (SOP) do Estado informou que licitação para as obras remanescentes foi aberta no dia 4 de novembro de 2021, mas fracassou. Com isso, um novo certame deverá ser marcado. “Aberta para trânsito, a obra não é considerada concluída devido a pendências na construção de alças de viadutos, retornos e ciclovia, enquanto os entendimentos avançam na remoção das interferências restantes. Todas essas questões são tratadas em comunicação constante entre SOP e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit)”, diz o órgão.

Arco Metropolitano

Outra obra que também segue em espera é o Arco Metropolitano, via expressa de pista dupla e 90 quilômetros de extensão, com vários viadutos. A estrutura ligará a BR-116, em Pacajus, ao Porto do Pecém, cruzando as principais rodovias federais e estaduais que dão vida à Região Metropolitana de Fortaleza. De acordo com Lúcio Gomes, secretário da Infraestrutura do Ceará, as obras foram prejudicadas pela pandemia da covid-19 e aguardam atualização dos dados para, em 2022, deslanchar.

“Fomos prejudicados pela pandemia, estamos sanando os problemas e atualizando o orçamento que ficou desfasado. Até o fim do ano, vamos concluir esse processo, mas ainda temos outras etapas a vencer, como convocar audiência pública, por exemplo, e submeter ao Tribunal de Contas do Estado o edital. Tudo isso deve ser feito no começo do ano que vem”, afirma o titular da Seinfra.

As obras da ferrovia Transnordestina, por sua vez, fundamentais para a economia do Ceará e do Nordeste, também seguem a passos lentos. “Essas são obras extremamente necessárias para favorecer a economia, minimizar custos e aumentar a rentabilidade das empresas. Sem elas, a economia é comprometida. A crítica é construtiva. Penso que tanto empresários como o cidadãos precisam buscar apoio para que essas obras andem o mais rápido possível”, reforça Alcântara Macedo.

Expolog começa hoje em Fortaleza com expectativa de movimentar R$ 500 milhões em negócios

Com a expectativa de alcançar 3 mil participantes neste ano, a 16ª edição da Feira Internacional de Logística – Expolog 2021, considerado um dos mais importantes na área de logística do País, começa hoje, com a previsão de movimentar R$ 500 milhões em negócios. O evento vai debater, principalmente, a logística nacional e internacional, os cenários e desafios. De forma híbrida, a programação ocorrerá no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza, e será transmitida online.

A Expolog é uma realização da Câmara Brasil Portugal no Ceará (CBP-CE), da Prática Eventos e Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística do Estado do Ceará (Setcarce) e do Instituto Future. “Pela segunda vez, promovemos o evento de forma híbrida, o que é um desafio, mas estamos conseguindo organizar as atividades dessa forma, online e nas atividades presenciais. Vamos ter rodadas de negócios e oficinas de como fazer determinadas inovações e implementar modelos de gestão para melhorar a logística no Nordeste e no Brasil. Hoje, estamos vivenciando dificuldades com relação às cadeias globais, o que é um reflexo da pandemia, pois boa parte da produção estava centralizada na China e foi reordenada pelo mundo. Tivemos represamento da demanda muito alta”, diz o membro do comitê organizador da Expolog, Marcelo Bandeira.

Ele ressalta que o evento será uma oportunidade para repensar a economia e a logística. “Será também uma oportunidade para fazer negócios, para pensar novas oportunidades de trabalho e novos clientes com debates interessantes a respeito da atual realidade. Quando veio a abertura de diversos países, o consumo explodiu. A quantidade de contêineres que temos hoje, por exemplo, já não suporta a demanda. Está faltando chip, as empresas não conseguem produzir carros, eletrodomésticos, em razão da falta de insumos. Nesse cenário, a logística ganha papel muito maior como viabilizadora da retomada da economia que passa, necessariamente, pela logística”, reforça.

 

 

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS