Covid-19

Quase 287 mil pessoas receberam dose de reforço e adicional contra a covid-19 em três dias, no Brasil

Até o momento, 506,9 mil brasileiros com idades acima de 70 anos e 29,8 mil pessoas imunossuprimidas receberam a dose de reforço

Redação O Otimista 

redacao@ootimista.com.br

(Foto: Divulgação/PMF)

Mais de 286,8 mil pessoas receberam a dose de reforço ou a dose adicional da vacina contra a covid-19 em apenas três dias. Até o momento, são 506,9 mil brasileiros com idades acima de 70 anos e 29,8 mil pessoas imunossuprimidas com a imunização reforçada. Os números foram divulgados pelo Ministério da Saúde, neste domingo, 26.

Este público, segundo a pasta, foi escolhido como prioritário nesta etapa da campanha de vacinação por estar entre os grupos com mais riscos de acometimento pelas formas graves da doença.

O reforço é feito com o imunizante da Pfizer, que começou a ser enviado para todos os estados, municípios e Distrito Federal na última semana. Esta primeira remessa conta com 2,2 milhões de doses da vacina. O Governo Federal enviou de 1,1 milhão de doses para reforçar a imunização de pessoas com alto grau de imunossupressão, 1,1 milhão para aplicar nos brasileiros acima de 70 anos e 16 mil para imunizar indígenas.

O envio dos imunizantes para doses de adicionais ou de reforço começou após o Ministério da Saúde ter concluído o envio das quantidades de vacinas necessárias para aplicar a primeira dose ou dose única em toda a população maior de 18 anos, estimada em 158 milhões de pessoas.

Cobertura vacinal
Mais de 87 milhões de brasileiros, o equivalente a 55% da população adulta, foram imunizados com as duas doses ou dose única. A primeira dose, segundo a pasta, também segue em ritmo acelerado, com 147,7 milhões de aplicações, ou seja, mais de 91,7% dos brasileiros maiores de 18 anos iniciaram o ciclo vacinal, o que começa a gerar sentimento de segurança, confiança e esperança para retomada segura das atividades.

As médias móveis de casos e óbitos também estão em queda desde junho, com redução de mais de 70%. Além disso, há 14 dias consecutivos o Brasil registra média móvel de mortes por covid na faixa de 500, índice que não era registrado desde o fim do ano passado.

 

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS