Colunista

Erivaldo Carvalho: o que significa Alexandre Pereira na transição do governo Lula

Ele é secretário do Turismo em Fortaleza e presidente da Cidadania-CE / Reprodução

Todo governo em regime democrático deve ser formado por quadros técnicos e agentes políticos.

Os integrantes da primeira categoria apresentam projetos, definem metas, impõem ritmo e entregam resultados.

Os membros do segundo quesito acolhem ideias, articulam apoios, dão peso institucional e fazem o meio de campo eleitoral.

Perfis técnico e político são incompatíveis? Claro que não. Tanto que o ideal é quando as nomeações conseguem juntar os dois perfis.

É o caso de Alexandre Pereira, recém-nomeado para a equipe de Turismo no grupo técnico de transição do governo Lula (PT).

Secretário do Turismo de Fortaleza, Alexandre preside o partido Cidadania no Estado do Ceará.

Como foi a indicação
As duas faces do mais novo integrante da transição ajudam a entender porque Alexandre está no lugar certo.

A ida do secretário para a comissão começou com a chegada ao grupo de Simone Tebet (MDB) e Eliziane Gama (Cidadania).

A força das duas senadoras, mais a liderança do presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, abriram as portas para Alexandre.

A atuação do presidente do Cidadania-CE à frente do Turismo da Capital do Ceará só reforçaram a convicção do vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB).

Coordenador geral da transição, o experiente político e gestor fez o convite, diretamente, ao presidente do Cidadania e titular da Setfor.

Mais força local
A nomeação de Alexandre Pereira para a transição de Lula pode significar, na prática, um novo momento na vida pública do presidente do Cidadania.

E vem em boa hora. Justamente, quando o próximo governo de Elmano Freitas (PT) começa a desenhar o organograma da nova administração estadual.

Assim como consolidado, em nível nacional, a expectativa é que o Cidadania, que elegeu Luciana Ribeiro para a Assembleia Legislativa, integre a base aliada do petista.

Um convite a Alexandre Pereira, para tratativas nesse sentido, portanto, parece ser uma questão de tempo.

Agenda nacional
Enquanto Alexandre Pereira não senta com a equipe do governador eleito, o chefe da Seftor foca na agenda nacional.

Na prancheta do competente secretário estão, pelo menos, quatro pontos que poderão expandir um dos principais trades econômicos do Ceará. Quais sejam:

1 – Vender mais e melhor o turismo dentro e fora do Brasil;

2 – Ampliar e diversificar a malha aérea nacional e regional;

3 – Investir mais no trade, a partir de incentivos do governo federal;

4 – Promover uma nova modelagem legal e trabalhista do turismo náutico.

Tudo considerado, pode-se dizer que Alexandre na transição, em Brasília e no Ceará, é mais do que a soma da experiência do gestor com a habilidade do político.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS